Destaques da Bolsa

Vale e siderúrgicas sobem com minério; small cap dispara até 40% em 2 pregões

Confira a atualização dos principais destaques de ações da Bovespa nesta sessão

Aprenda a investir na bolsa

11h20: Direcional (DIRR3, R$ 4,63, -0,22%)
A Direcional divulgou na terça-feira à noite sua prévia operacional do segundo trimestre, que registrou alta de 793% em suas vendas com lançamentos quando comparado com os primeiros três meses do ano, mas 24% menor do que o registrado no mesmo trimestre de 2014. O VGV (Valor Geral de Vendas) foi referente ao lançamento de três empreendimentos: Splendido, Setor Total Ville e Villa São Francisco. 

O BTG Pactual ressaltou que, apesar dos lançamentos terem alcançado R$ 174 milhões no período, não houve nenhuma venda na faixa 1 do programa Minha Casa, Minha Vida. A corretora segue com recomendação de compra para as ações, que depois de caírem 42% no ano, parecem negociar a um valuation atrativo. 

11h11: Fertilizantes Heringer (FHER3, R$ 2,72, +12,40%)
As ações da Fertilizantes Heringer, uma das maiores empresas do segmento de adubos do País, voltam a disparar nesta sexta-feira na Bolsa depois da derrocada dos papéis desde a metade de junho. Em dois pregões, as ações da companhia chegaram a saltar até 40%.

Aprenda a investir na bolsa

Procurada pelo InfoMoney, o departamento de Relações com Investidores da empresa disse que, com exceção da aprovação pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) de 9,5% das ações da companhia pela canadense PCS Sales, ocorrida no início desta semana, não houve nenhum fato ou ato relevante de conhecimento da companhia que justificasse tal oscilações das ações no período. 

10h59: Sabesp (SBSP3, R$ 16,39, -4,15%)
As ações da Sabesp acentuam as perdas neste pregão e lideram a ponta negativa do Ibovespa. O movimento segue o desempenho dos ADRs na véspera, que caíram 2,7% na Bolsa de Nova York. Na Bovespa, essa é a primeira queda depois de três pregões de alta. 

10h53: Vale e siderúrgicas
As ações da Vale (VALE3, R$ 17,67, +2,97%; VALE5, R$ 14,95, +2,82%), Bradespar (BRAP4, R$ 9,87, +1,75%), holding que detém forte participação na mineradora, além das siderúrgicas Usiminas (USIM5, R$ 4,15, +2,98%), CSN (CSNA3, R$ 4,76, +2,37%) e Gerdau (GGBR4, R$ 6,88, +0,44%) amenizam os ganhos após terem subido mais 4%, em meio à recuperação do minério de ferro, que subiu 12% nesses últimos dois dias diante das medidas adotadas pelo governo chinês para estancar a queda das ações no país.

O movimento ocorre após forte derrocada da commodity, que caiu por dez dias seguidos até quarta-feira, quando acumulou desvalorização de 28%.  

10h42: Ecorodovias (ECOR3, R$ 7,34, -1,87%)
As ações da Ecorodovias aparecem como a segunda maior queda do Ibovespa hoje, depois de ter subido quase 3% na quarta-feira, figurando como uma das maiores altas do índice.  

10h14: Petrobras (PETR3, R$ 13,38, +3,08%; PETR4, R$ 11,93, +3,29%)
As ações da Petrobras sobem forte hoje, acompanhando a movimentação dos ADRs (American Depositary Receipts) na véspera, que subiram quase 3%. Segundo a XP Investimentos, as ações da estatal devem reagir à oscilação dos preços do petróleo no mercado internacional, por conta de temores com a China e também excesso de oferta. A produção da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) subiu para 31,7 milhões de barris de petróleo em junho, no maior nível desde abril de 2012. Hoje, o petróleo Brent, negociado em Londres, sobe 0,22%, a US$ 58,74. Ontem, o Brent fechou em alta de 2,7%. 

PUBLICIDADE

Além disso, as ações seguem a decisão da Justiça dos Estados Unidos sobre ação coletiva movida no país contra a empresa. A companhia confirmou hoje que o juiz responsável pela ação coletiva nos EUA (“class action”) 

contra a Petrobras nos Estados Unidos, Jed Rakoff, emitiu parecer sobre pedido apresentado pela estatal, “motion to dismiss” acolhendo parcialmente seus argumentos. A intenção da Petrobras era que a Corte analisasse se haveria necessidade de seguir para a fase probatória, o que vai acontecer, mesmo tendo o juiz acatado parte dos argumentos. Na ação coletiva contra a Petrobras na Corte de Nova York investidores estrangeiros reclamam prejuízos milionários causados pelo esquema de corrupção na companhia.

A ação coletiva prosseguirá quanto aos demais pleitos. Ainda de acordo com o documento apresentado ao mercado pela Petrobras, as partes têm até 15 de julho para apresentar cronograma do processo, que inclui a fase probatória, e o caso deverá estar pronto para julgamento até 1º de fevereiro de 2016.