EUA

Vai ficar na promessa? Trump dá condição para corte de impostos nos EUA – e não era o que o mercado esperava

A reforma fiscal, que resultaria em uma carga tributária menor para consumidores e empresas, era um dos principais pilares da área econômica do republicano

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pode ter decepcionado muitos investidores que contavam com um corte massivo de impostos como uma de suas principais diretrizes econômicas. 

Nesta quarta-feira (12), o republicano disse que só poderá implementar uma reforma fiscal, com redução da carga tributária, depois que aprovar a reforma do sistema de saúde. “Nós vamos ter uma reforma de impostos fenomenal, mas eu tenho que resolver o sistema de saúde primeiro”, disse, de acordo com o MarketWatch.

Nesta quarta-feira, às 12h30, as bolsas de Nova York registravam quedas da ordem de 0,30%, refletindo também apreensão em torno do risco geopolítico envolvendo a participação dos EUA nas questões da Síria e da Coreia do Norte.

PUBLICIDADE

A lógica por trás da declaração de Trump é que o Trumpcare resultaria em corte profundos no orçamento norte-americano, que compensariam a perda de arrecadação resultante da diminuição de impostos. Em uma entrevista ao programa Fox Business Network, o presidente estimou que a substituição do Obamacare economizaria US$ 900 bilhões.

A reforma fiscal, que resultaria em uma carga tributária menor para consumidores e empresas, era um dos principais pilares da área econômica do republicano e uma das grandes expectativas de investidores para alavancar o crescimento dos EUA nos próximos anos.

A condição explicitada por Trump, no entanto, preocupa os mercados uma vez que, em seu primeiro grande teste no Congresso, o bilionário não foi capaz de angariar o apoio necessário, apesar de seu partido ter maioria na Câmara e no Senado.

O presidente, no entanto, negou que os republicanos “falharam” em aprovar a reforma do sistema de saúde. “Nós ainda estamos negociando e vamos continuar negociando”.