Vai comprar um imóvel? Atenção aos termos técnicos para não haver confusão

É importante saber quais são os três tipos de áreas e como elas são calculadas. Documentos também são essenciais

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Não é apenas o preço do metro quadrado e a localização do imóvel que devem ser levados em consideração no momento da compra. É importante que o interessado em adquirir uma casa própria conheça – muito bem – os termos técnicos utilizados.

Assim, evitam-se confusões. E com menos problemas durante a negociação, menos tempo elas levam para ser concluídas e, portanto, menos dinheiro é perdido. As informações são da Tibério Incorporações e Construções.

Área

Em contratos são citados mais de um tipo de área. São elas:

  • Privativa: em um prédio, por exemplo, é o apartamento da pessoa. O consumidor tem total domínio sobre esse espaço, que é composto pela superfície limitada da linha que contorna externamente as paredes das dependências de uso privativo e exclusivo do proprietário.
  • Comum: áreas compartilhadas por todos do condomínio. Entre elas estão escadas, hall social, estacionamentos, áreas de lazer etc.
  • Total: é a soma das duas anteriores. Tudo o que o imóvel lhe oferece.

Documentação

Dentre as documentações estão o Habite-se e o Memorial Descritivo. O primeiro é emitido pela prefeitura, e mostra que a obra foi aprovada em sua totalidade. Somente após a emissão dessa certidão é que o comprador recebe as chaves da casa.

O segundo traz a descrição de todas as características do projeto arquitetônico, especificando os materiais que serão necessário à obra – da fundação ao acabamento.

Compartilhe