Luz amarela

Um dos principais índices da Bolsa dos EUA se aproxima da “zona da morte”; é para temer?

Hoje, o S&P 500 opera a 7,85%, o que significa que a luz para o índice está amarela; pode ser prematuro acionar um alerta maior, mas é para ficar de olho, comenta investidor americano

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Um dos principais índices acionários dos Estados Unidos, o S&P 500 se aproxima da assombrosa “zona da morte” – uma frase cunhada pelo economista Robert Dieli no NoSpinForecast e que refere-se a um indicador baseado nas mudanças percentuais ano a ano do índice. 

Quando Dieli criou essa linha no gráfico de longo prazo, ele apontou que quando o índice ultrapassa de cima para baixo a marca de 10%, a tendência é que o índice acelere as perdas até -10%.

Ele então delimitou a marca entre +10% e -10% no gráfico (como pode ser visto abaixo) como a zona da morte, porque nessa área há uma boa chance do “bull market” (tendência de alta do mercado) morrer. 

Aprenda a investir na bolsa

Segue o gráfico abaixo, voltando desde 1955: 

Um bom observador notará que a linha superior do indicador tem uma tendência a saltar quando o índice ousa rompé-la para baixo. Sinais fracos que criam ruídos no mercado, como notou T. Erik Conley, um investidor americano com 30 anos no mercado financeiro, em reportagem ao site Market Watch. Sendo assim, Conley acredita que o mais crível seja esperar o índice romper os 5% para baixo antes de esboçar sinais mais fortes de preocupação. “Quando a linha penetrar 10% para baixo, é luz amarela. Mas quando penetrar 5%, a luz já virou vermelha”, escreveu. ´

Hoje, o S&P 500 opera a 7,85%, o que significa que a luz para o índice está amarela, podendo ser prematuro ainda esboçar preocupações maiores, dado que a tendência primária do mercado ainda é de alta, enquanto o Federal Reserve segue suportando o risco do trade na Bolsa americana, comentou. Combinando esses dois pontos positivos, que ajudam com que o ciclo no mercado seja ainda de expansão, a conclusão é que, pelo por enquanto, dá para segurar as ações em carteira. Mas é importante ter em mente que desde o início deste ano o S&P flerta romper a linha dos 10%, como pode ser visto no gráfico abaixo:

Olhando para o gráfico, é possível observar que o índice está atualmente em zona que liga o luz amarela. “Para evitar a luz vermelha, a única forma é se o índice marcar uma série de novas máximas”, escreveu Conley. Mas ele lembra, novamente, é importante lembrar que esse é um único indicador e é sempre aconselhável procurar a confirmação de outros indicadores antes de fazer alterações em seu portfólio.  

PUBLICIDADE