Retaliação

Ucrânia pede para exchanges de criptomoedas congelarem contas de russos; Binance diz não

Membro do governo do país quer que corretoras bloqueiem tanto endereços de políticos como de usuários comuns

Por  CoinDesk -

Mykhailo Fedorov, vice-primeiro-ministro da Ucrânia e ministro da Transformação Digital do país, pediu para “todas as principais exchanges de criptomoedas bloquearem endereços de usuários russos”.

Fedorov tuitou no domingo (27) que “é crucial congelar não apenas os endereços vinculados a políticos russos e bielorrussos, mas também sabotar usuários comuns”.

A Binance, uma das principais exchanges de criptomoedas do mundo em volume de negociação, disse que não tem planos de bloquear as contas de usuários na Rússia, segundo a Reuters.

“Não vamos congelar unilateralmente milhões de contas de usuários inocentes. As criptos foram feitas para proporcionar maior liberdade financeira para pessoas em todo o mundo”, falou um representante da corretora à agência de notícias.

A Dmarket, uma empresa de ativos digitais ucraniana que funciona como uma exchange para negociar itens virtuais de qualquer jogo em qualquer plataforma, “conectando a indústria do entretenimento com o metaverso global”, aceitou o pedido.

No domingo, a empresa postou o seguinte no Twitter: “A startup ucraniana DMarket corta todos os relacionamentos com a Rússia e a Bielorrússia devido à invasão da Ucrânia. O

registro na plataforma está proibido para usuários da Rússia e da Bielorrússia. Contas de usuários previamente registrados dessas áreas estão congeladas.”

Há três semanas, quando a Rússia ameaçava uma invasão, o ucraniano Vlad Panchenko, CEO e fundador da DMarket, já havia convencido seu conselho a levar mais de 100 de seus funcionários e suas famílias de Kiev para Montenegro, segundo a Axios.

Em resposta ao movimento da DMarket, Mykhailo Fedorov tuitou que “os fundos dessas contas (congeladas) poderiam ser doados para o esforço de guerra. Robin Hood do momento atual. Bravo”.

No entanto, Jesse Powell, fundador da exchange Kraken, retuitou o post de Fedorov para anunciar e explicar por que eles não congelariam as contas.

“Entendo a justificativa para este pedido, mas apesar do meu profundo respeito pelo povo ucraniano, a @krakenfx não pode congelar as contas de nossos clientes sem uma exigência legal para isso.

Mas Powell sugere que isso pode mudar no futuro, dizendo que “os russos devem estar cientes de que tal exigência pode ser iminente”.

Ele acrescentou ainda que a missão da Kraken FX é “concentrar-se nas necessidades individuais acima das de qualquer governo ou facção política” e que “o Dinheiro do Povo é uma estratégia de saída para os humanos, e uma arma para a paz, não para a guerra”.

Ele falou também que “se fôssemos congelar voluntariamente contas financeiras de residentes de países que atacam e provocam violência injustamente em todo o mundo, o primeiro passo seria congelar todas as contas dos EUA. Na prática, essa não é realmente uma opção viável de negócio para nós.”

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe