Bolsa de Valores

‘Top 5’: Analista lista as cinco melhores ações da bolsa

De acordo com a Magliano Corretora, as 'Top 5' ações da bolsa são: Cia Hering (HGTX3), EZTec (EZTC3), Helbor (HBOR3), Dimed (PNVL3) e Marcopolo (POMO3)

SÃO PAULO – “Quando se fala de Ibovespa, todo mundo imagina uma bolsa ruim, mas a bolsa não é só o Ibovespa. Existem muitas empresas fora do índice que são muito interessantes”, afirmou Henrique Kleine, o analista-chefe da Magliano Corretora em palestra na Expo Money 2013, na última quinta-feira (12).

Acompanhe a cotação de todos os fundos imobiliários negociados na BM&FBovespa

Com base nisso, a corretora escolheu cinco ações, das quais quatro estão fora do índice, e as nomeou como ‘Top 5’ ações da bolsa de valores paulista. Por meio de uma análise fundamentalista, a Magliano analisou diversos fatores para chegar às suas escolhas. “As ‘Top 5’ são empresas que vem tendo um ótimo desempenho no mercado há um bom tempo”, disse o especialista.

PUBLICIDADE

De acordo com Kleine, o mercado vive em constante mutação, mas segue algumas diretrizes fundamentais, ou seja, tem empresas que tem lucros regulares e crescentes e que, por isso, conseguem atravessar incólumes por períodos difíceis, como a crise de 2008. “Elas podem até sofrer um pouco, mas se recuperam facilmente”, explicou o especialista.

Quer saber mais sobre os termos usados no mercado financeiro? Acesse o glossário InfoMoney

A análise fundamentalista, utilizada na escolha dos papéis, é uma análise minuciosa, na qual se procura olhar o DNA da companhia, analisando números, balanços, conversas com CEOs, equipes de relacionamento com investidores, entre outros, para ver se as coisas que a companhia diz condizem com os fundamentos dela.

Os principais fatores que são considerados pela corretora para fazer a análise são os macro e microeconômicos, inflação, taxa de juros, câmbio, PIB, finanças e decisões governamentais, que, segundo Kleine, atualmente atrapalham bastante. “Isso tem que ser levado muito em consideração, visto que esse governo excessivamente intervencionista já prejudicou o setor elétrico, o setor bancário e o setor de petróleo e gás. Hoje, esse fator, de decisões governamentais, é o primeiro para o qual o investidor deve olhar, porque ele precede tudo que você vai fazer”, afirmou.

Outros fatores secundários são o setor de atuação da empresa, a concorrência e os resultados. “Nós usamos também diversos múltiplos para escolher essas empresas, como o P/VPA, que é o preço da ação dividido pelo valor patrimonial de balanço. Esse número é quantas vezes a mais o mercado paga pelo valor da empresa”, disse. Segundo ele, existem empresas hoje na bolsa pelas quais os investidores pagam até 18 vezes o quanto elas valem. Ao mesmo tempo, tem companhias que estão valendo metade do seu valor. “Outra coisa que levamos em consideração são os dividendos que a companhia paga, índice de liquidez e de endividamento”, finalizou.

As ‘Top 5’

PUBLICIDADE

Cia Hering (HGTX3)
Setor: Vestuário
Preço da ação: R$ 33,42
LPA: 1,91
VPA: 4,91
P/L: 17,53
P/VPA: 6,81
Lucro Líquido (12 meses): R$ 313,853 milhões
EBIT (12 meses): R$ 406,277 milhões
Dívida Líquida: R$ -166,735 milhões

EZTec (EZTC3)
Setor: Construção Civil
Preço da ação: R$ 28,92
LPA: 3,17
VPA: 13,23
P/L: 9,12
P/VPA: 2,19
Lucro Líquido (12 meses): R$ 465,049 milhões
EBIT (12 meses): R$ 398,508 milhões
Dívida Líquida: R$ -69,757 milhões

Helbor (HBOR3)
Setor: Construção Civil
Preço da ação: R$ 9,20
LPA: 1,11
VPA: 4,62
P/L: 8,32
P/VPA: 1,99
Lucro Líquido (12 meses): R$ 284,908 milhões
EBIT (12 meses): R$ 381,566 milhões
Dívida Líquida: R$ 880,760 milhões 

Dimed (PNVL3)
Setor: Medicamentos
Preço da ação: R$ 255,00
LPA: 10,72
VPA: 55,99
P/L: 23,78
P/VPA: 4,55
Lucro Líquido (12 meses): R$ 48,986 milhões
EBIT (12 meses): R$ 21,506 milhões
Dívida Líquida: R$ 44,089 milhões

Marcopolo (POMO3)
Setor: Material Rodoviário
Preço da ação: R$ 6,30
LPA: 0,32
VPA: 1,48
P/L: 19,50
P/VPA: 4,27
Lucro Líquido (12 meses): R$ 289,777
EBIT (12 meses): R$ 372,965 milhões
Dívida Líquida: R$ 1,018 bilhão

Glossário

LPA: Lucro por Ação
VPA: Valor Patrimonial por Ação: Valor do Patrimônio Líquido dividido pelo número total de ações
P/L: Preço da ação dividido pelo lucro por ação. O P/L é o número de anos que levaria para reaver o capital aplicado na compra de uma ação, através do recebimento do lucro gerado pela empresa, considerando que esses lucros permaneçam constantes.
P/VPA: Preço da ação dividido pelo Valor Patrimonial por ação: Informa quanto o mercado está disposto a pagar sobre o Patrimônio Líquido da empresa.
Lucro Líquido (12 meses): O que sobra das vendas após todas as despesas.
EBIT (12 meses): Earnings Before Interest and Taxes (Lucro antes dos Impostos e Juros): Uma aproximação do lucro operacional da empresa.
Dívida Líquida: Dívida Bruta menos Disponibilidades. Se este valor é negativo, significa que a empresa possui caixa líquido positivo.

*Fonte: Fundamentus