Títulos públicos federais seguem líderes absolutos do PL de ativos em carteiras

Categoria foi responsável por 40,25% do PL doméstico em abril; participação dos ativos de renda fixa é de quase 85%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os dados de abril comprovam mais uma vez o caráter conservador da indústria brasileira de fundos. No último mês, o percentual destinado aos ativos de renda fixa correspondeu a 84,90% do PL (Patrimônio Líquido) de todos os ativos em carteiras administradas por terceiros – englobando fundos de investimento em sua maioria, além de carteiras administradas e clubes de investimento.

De acordo com os números da Anbid (Associação Nacional dos Bancos de Investimento), ao final do quarto mês de 2009, o PL total do mercado somou a cifra de R$ 1,282 trilhão, dentre os quais nada menos que R$ 1,088 trilhão estava aplicado em ativos de renda fixa.

Paralelamente, o tom conservador do mercado se faz transparecer também entre as subcategorias. Do montante total investido na renda fixa, R$ 516,2 bilhões vieram dos títulos públicos federais, o que representa de 40,25% de todo o PL doméstico em abril. O segundo lugar vem bem atrás, com as operações compromissadas com lastro em títulos federais arrancando 17,45% de tal fatia.

Alocação em carteiras administradas ao final de abril
AtivoMontante
(R$ bilhões)
Participação PL total
Títulos Públicos Federais516,2740,25%
Operação Compromissada – Lastro em títulos federais223,8217,45%
Ações188,1614,67%
CDB/RDB164,8212,85%
Outros – Renda Fixa95,047,41%
Debêntures53,874,20%
Operação Compromissada – Lastro em títulos estaduais, municipais e privados32,452,53%
Outros – Renda Variável5,510,43%
Notas Promissórias2,950,23%
Total1.282,664100%

Aprenda a investir na bolsa

Posições

Com menores taxas de administração e uma gama de categorias e tipos que permitem ao investidor diversificar e adaptar suas carteiras conforme o cenário macroeconômico e financeiro, os títulos públicos federais há muito despontam na liderança do mercado brasileiro de carteiras administradas.

Ganhando espaço, a categoria de “operações compromissadas com lastro em títulos públicos federais” cresceu de 12,55% do PL total em abril do ano passado para 17,45% em abril deste ano, ao passo que a participação dos títulos de CDB/RDB passou de 10,32% para 12,85% na mesma base de comparação.

No mesmo sentido, a categoria “ações” vem recuperando espaço nos últimos meses, em linha com a retomada dos ganhos verificada nas bolsas no período. Em maio de 2008, 22,14% do PL do mercado brasileiro ficava com o segmento, que em fevereiro deste ano arrancou apenas 13,78%. No mês passado, no entanto, o número apresentou uma melhora e ficou em 14,67%.

Variação das Quatro Maiores Categorias
PeríodoTítulos
Públicos
Federais
AçõesOp. compromissadas –
Lastro em Títulos Federais
CDB/RDB
Maio 200843,11%22,14%11,58%10,73%
Junho 200842,82%21,21%11,99%11,53%
Julho 200840,30%20,23%14,73%11,67%
Agosto 200840,39%19,32%14,18%12,78%
Setembro 200840,22%17,66%15,34%13,44%
Outubro 200841,59%15,27%16,34%13,64%
Novembro 200841,70%14,69%16,69%13,73%
Dezembro 200841,46%14,45%16,02%13,70%
Janeiro 200940,90%14,42%17,72%13,45%
Fevereiro 200941,82%13,78%17,29%13,22%
Março 200941,05%14,05%17,95%13,37%
Abril 200940,25%14,67%17,45%12,85%