Brexit

Theresa May vence voto de desconfiança e segue na condução das negociações do Brexit

Agora a primeira-ministra deve apresentar um plano B para tentar renegociar o acordo do Brexit

Por  Rodrigo Tolotti -

SÃO PAULO – Por 325 votos a favor e 306 contra, a primeira-ministra Theresa May venceu a moção de desconfiança e segue no cargo, conduzindo o governo na tentativa de aprovar um acordo para o Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia).

Logo após o resultado ter sido anunciado, May afirmou que quer começar as conversas com os líderes dos partidos da oposição ainda hoje à noite para costurar uma nova proposta para o Brexit que possa ser aprovada no Parlamento e também pela União Europeia.

Por outro lado, o líder da oposição, Jeremy Corbyn, disse que não irá conversar com a premiê enquanto ela não descartar a possibilidade de um “Brexit sem acordo”.

Marcado para dia 29 de março, o Brexit pode ocorrer mesmo se um acordo não for aprovado. Se este cenário de concretizar, de um momento para outro, deixam de existir controles de fronteiras, procedimentos migratórios e regras comerciais e não haverá uma ideia de como a situação ficará.

Por conta disso, o governo agora corre contra o tempo para tentar conseguir um acordo com os parlamentares. Tem circulado nos noticiários que pode ser necessário prorrogar o Artigo 50, que determina os prazos para o divórcio entre as duas regiões, sendo que a União Europeia já autorizou o Reino Unido a mudar o prazo do dia 29 de março de forma unilateral.

A moção de desconfiança foi proposta exatamente por Corbyn logo após o Parlamento rejeitar o acordo do Brexit na terça-feira. Segundo ele, May, em dois anos de governo, não conseguiu elaborar uma proposta boa o suficiente para ser aprovada pela maioria dos parlamentares.

Compartilhe