Direto da Bolsa

TEMPO REAL: Petrobras cai quase 3% após Vox Populi e siderúrgicas tem baixa de 2%

Acompanhe aqui a atualização dos principais destaques da Bovespa nesta quarta-feira

12h09: Gerdau (GGBR4, R$ 12,43, -2,36%)
As ações da Gerdau caem forte nesta sessão e atingem o menor patamar desde junho de 2013. Ontem, o Departamento de Comércio dos EUA reduziu a tarifa total antidumping do aço importado da Turquia para 2,6% e elevou para 10,66% para o México. Ambos, são os dois maiores exportadores para os EUA e decisão pode afetar a Gerdau.

Segundo a equipe de análise da Planner Corretora, a notícia é preocupante porque o mercado da América do Norte é aquele de maior destaque para a empresa neste momento de fraqueza das vendas no Brasil. Além disso, vale mencionar as ações das outras siderúrgicas – CSN (CSNA3, R$ 9,40, -1,26%) e Usiminas (USIM5, R$ 7,96, -2,57%) -, que são penalizadas com a forte queda no preço do minério de ferro. A commodity renovou a mínima em 5 anos nesta sessão, atingindo R$ 82,20 por tonelada.

12h06: Petrobras (PETR3, R$ 19,84, -2,70%PETR4, R$ 19,84, -2,70%)
As ações da Petrobras acelaram as perdas e caem quase 3% após a divulgação do Vox Populi nesta manhã. A pesquisa eleitoral mostrou Dilma Rousseff, do PT, com 36% das intenções de voto, contra 28% de Marina Silva, do PSB, e 15% de Aécio Neves, do PSDB, no 1º turno. Em uma provável disputa pelo 2º turno, Vox Populi mostrou um empate técnico entre as duas candidatas. a candidata do PSB aparece à frente com 42% dos votos, enquanto Dilma teria 41%.

O mercado agora aguarda a divulgação do Datafolha, que deve acontecer no Jornal Nacional, da Globo, esta noite.

Ontem, no final do dia foi relevado o Ibope em São Paulo e Rio de Janeiro. Na pesquisa realizada em SP, a candidata pelo PSB à Presidência, Marina Silva, aparece à frente com 38% das intenções de voto, seguida por Dilma Rousseff (PT), com 25%, e Aécio Neves (PSDB), 15%. Já o levantamento do Ibope do estado do Rio de Janeiro mostra que Dilma detém 37% do apoio popular, ante 34% de Marina. Na sequência, Aécio aparece com apenas 9% das intenções de voto.

11h01: Bancos II
Além do cenário político, repercute no setor bancário a notícia de que a Moody’s cortou a perspectiva das notas de depósitos de longo prazo em moeda local e estrangeira dos bancos, além da nota de vigor financeiro. Segundo a agência, as alterações de perspectiva para nota de vigor financeiro afetam cinco bancos.

No caso de ratings de longo prazo em moeda local foram 13 instituições afetadas e no longo prazo em moeda estrangeira, 14. Entre as instituições citadas, estão: Banco do Brasil (BBAS3, R$ 32,09, -1,24%) Bradesco (BBDC3, R$ 38, -1,50%; BBDC4, R$ 38,47, -1,91%) Itaú Unibanco (ITUB4R$ 38,25, -1,67%)  e Santander (SANB11R$ 15,72, -0,51%).

10h55: Oi (OIBR4, R$ 1,50, +0,67%)
Após chegarem a cair mais de 2% na abertura da sessão, as ações da Oi viram para alta de quase 1% nesta quarta-feira. No radar da companhia ainda está a notícia de que a Associação de Investidores e Analistas Técnicos (ATM), que representa os acionistas minoritários da Portugal Telecom (PT), informou ter enviado carta registrada para o Conselho de Administração da companhia. No documento, pede que os membros do conselho não executem a deliberação da última assembleia de acionistas. A reunião de ontem aprovou a revisão dos termos da fusão da tele portuguesa com a Oi.

10h52: Tim (TIMP3, R$ 13,29, -1,99%)
As ações da Tim iniciam o dia com queda de quase 2%, após o presidente da TIM, Rodrigo Abreu, reiterar na terça que a empresa de telecomunicações não está à venda, e reafirmou o compromisso de longo prazo da companhia com o País.

PUBLICIDADE

Ontem, o presidente da Claro, Carlos Zenteno, confirmou que o grupo foi mexicano América Móvil foi procurado pelo banco BTG Pactual com uma oferta para a compra da TIM.