Telefônica (VIVT3), dona da Vivo, vai restituir recursos de redução de capital a acionistas; ações sobem

Se toda redução de capital de R$ 5 bilhões ocorrer ainda neste ano, o "dividend yield" da Vivo poderá chegar a até 13%, projetam analistas

Felipe Moreira

Publicidade

A Telefônica Brasil (VIVT3), dona da Vivo, informou nesta terça-feira (19) que as reduções de capital no montante de até R$ 5 bilhões autorizadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) ocorrerão com restituição de recursos aos acionistas, a serem oportunamente fixadas, e sem o cancelamento de ações.

A operadora ainda disse que a autorização da Anatel determina o prazo de 180 dias para a realização das reduções de capital, prazo que pode ser prorrogado por igual período, mantidas as mesmas condições societárias.

O atual capital social da companhia é de R$ 63,571 bilhões e na avaliação do BTG a dona da Vivo poderia operar o negócio com um valor muito menor.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Telefônica (VIVT3), dona da Vivo, viu suas ações se valorizarem

Ao final da sessão, as ações VIVT3 subiram 0,75%, cotadas a R$ 44,46. Ontem, os papéis da Telefônica fecharam em alta de cerca de 2%, após o aval da Anatel – chegando a um pico intraday de R$ 44,66, maior nível desde julho de 2022.

De acordo com o Citi, se toda a redução de capital de R$ 5 bilhões ocorrer ainda neste ano, o “dividend yield” (indicador que avalia o rendimento das ações com o pagamento de dividendos) da Vivo poderá chegar a até 13%.

A implementação de cada etapa de redução ainda deverá ser submetida ao Conselho de Administração e à Assembleia Geral de Acionistas da Telefônica Brasil.

Continua depois da publicidade

(Com Reuters)