Concessões

Taxas de retorno para concessões de ferrovias são “baixíssimas”, diz Associação

A taxa de retorno dos investidores das novas concessões de ferrovias ficará entre 9,3% e 12,5%, após ter sofrido um aumento pelo governo no fim de fevereiro

Por  Reuters

SÃO PAULO – A Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF), que reúne empresas como ALL, MRS Logística, Transnordestina Logística, reclamou do que considera ser taxas de retorno muito baixas para as novas concessões de ferrovias.

“Para os novos projetos ela é baixíssima. Lembrem-se que nesse processo de concessão, no caso de ferrovias são construções, diferentes de aeroportos já prontos, você começa do zero”, afirmou Rodrigo Vilaça, presidente da Associação, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira.

A taxa de retorno dos investidores das novas concessões de ferrovias ficará entre 9,3 e 12,5 por cento, após ter sofrido um aumento pelo governo no fim de fevereiro, em um esforço para atrair mais investidores para os ambiciosos planos de logística do país.

Crescimento do setor
A ANTF informou também que as concessionárias de ferrovias esperam responder por 30 por cento do transporte de carga no Brasil até 2020, com mais de 800 milhões de toneladas transportadas.

Em 2012, as empresas da associação transportaram 481 milhões de toneladas, um crescimento de 1,3 por cento em relação a 2011.

“O trabalho foi feito mas precisa de continuidade e de mais esforço para que possamos chegar a uma matriz de transporte equilibrado. Hoje nos temos uma participação de 25 por cento na matriz do transporte brasileiro, mas certamente nós chegaremos a 20200 a mais de 800 milhões de toneladas e aí nós vamos chegar a mais de 30 por cento”, afirmou Vilaça.

A ANTF informou que no ano passado, as concessionárias investiram 4,9 bilhões de reais, um crescimento 6,6 por cento sobre um ano antes, e devem investir 16 bilhões de reais nos próximos três anos.

Compartilhe