Derrota para Johnson

Suspensão do Parlamento é ilegal, diz Suprema Corte britânica

A decisão da Suprema Corte, tomada de maneira unânime pelos 11 juízes, representa mais uma derrota ao premier Boris Johnson

arrow_forwardMais sobre

(ANSA) – A Suprema Corte do Reino Unido declarou hoje (24) que a suspensão do Parlamento requerida pelo primeiro-ministro Boris Johnson é “ilegal”.

Com isso, a maior instância judiciária britânica acolheu os argumentos e recursos apresentados pela oposição e pelos ativistas que defendem a permanência do país na União Europeia (UE).

A decisão da Suprema Corte, tomada de maneira unânime pelos 11 juízes, representa mais uma derrota ao premier Boris Johnson, que prometeu finalizar o Brexit – com ou sem acordo com Bruxelas- até a data limite de 31 de outubro.

PUBLICIDADE

Segundo os magistrados, Johnson abusou de sua autoridade ao aconselhar a rainha Elizabeth II que suspendesse os trabalhos do Parlamento entre 9 de setembro e 14 de outubro.

A Suprema Corte também afirmou que o Parlamento tem direito de participar dos debates sobre o Brexit e que deve retomar o quanto antes as suas atividades.

Ao comentar a decisão, o líder trabalhista e principal nome da oposição, Jeremy Corbyn, pediu a renúncia do premier.

De acordo com ele, Johnson deve “avaliar sua posição” como primeiro-ministro. 

Invista melhor o seu dinheiro: abra uma conta gratuita na XP