Plano de saúde

SulAmérica (SULA11) vê lucro líquido cair mais de 50% no ano, para R$ 24,4 milhões

Companhia menciona que primeiro trimestre foi marcado por combinação de impactos da Ômicron e volta dos tratamentos eletivos

Por  Vitor Azevedo

A SulAmérica (SULA11) registrou um lucro líquido de R$ 24,4 milhões após a participação de não controladores, número 54,4% menor do que os R$ 53,9 milhões registrados no mesmo período de 2021.

A baixa no lucro vem mesmo com a receita liquida do grupo segurador tendo avançado 5,8% na base anual, para R$ 5,1 bilhões – sendo R$ 5,06 bilhões provenientes de seguros de saúde e odontológicos, R$ 122,3 milhões de seguros de vida e R$ 165,5 milhões de seguros de previdência.

A companhia registrou maior sinistralidade na base anual, de 86,5%, número 5,9 pontos percentuais maior do que entre janeiro e março do ano passado.

“A alta reflete, principalmente, os custos associados à Covid-19 no trimestre, com o avanço da variante ômicron, que se concentrou no período, além da retomada das frequências de procedimentos eletivos”, explica a SulAmérica no documento publicado na noite desta quarta-feira (11).

O primeiro trimestre de 2022 combinou uma alta procura de atendimentos médicos por conta da Ômicron e contou ainda com a manutenção da volta da procura por cirurgias e atendimentos mais elaborados – que no ano passado vinham sendo evitados, com as pessoas não querendo frequentas hospitais por conta do período mais tenso da pandemia.

As despesas operacionais com atendimentos médicos saltaram de R$ 4,3 bilhões para R$ 4,8 bilhões.

A SulAmerica destaca que alcançou 4,4 milhões de beneficiados, alta de 5,7% no ano, com 239 mil vidas adicionadas – 217 mil de forma orgânica.

No setor de seguros de vida e previdência, os gastos recuaram levemente, saindo de R$ 173,5 milhões nos três primeiros meses de 2021 para R$ 157,7 milhões no mesmo período deste ano. Em previdência privada, as despesas operacionais ficaram estáveis em R$ 1,4 milhão.

As despesas administrativas da SulAmérica avançaram cerca de 10%, chegando a R$ 426,8 milhões, com mais gastos em força comercial, principalmente em publicidade e propaganda.

Por fim, o resultado do primeiro trimestre da seguradora foi impactado por um resultado financeiro positivo de R$ 137,6 milhões, ante R$ 15,9 milhões no primeiro trimestre de 2021. “Resultado de investimentos, mantendo trajetória similar à apresentada nos últimos trimestres, acompanhando aumentos sequências na taxa Selic ao longo dos últimos 12 meses, além da maior rentabilidade de ativos indexados ao IPCA”, comenta.

A SulAmérica fechou março com uma dívida bruta de R$ 3,3 bilhões, alta de 55,2% na base anual.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe