Sonhos tributados: conheça o peso dos impostos nas férias e na compra do carro novo

Quando o objetivo está para ser atingido, o consumidor nem nota que o peso dos impostos aumenta muito o valor final dos produtos

Por  Patricia Alves -

SÃO PAULO – Planejar e poupar com objetivos finais concretos é a melhor maneira de realizar alguns sonhos, seja o carro novo ou até mesmo a viagem de férias.

Quando o objetivo final está prestes para ser atingido, o consumidor nem percebe que o peso dos impostos aumenta, e muito, o valor final dos produtos.

Férias tributadas

Para se ter uma idéia, de acordo com o IBPT – Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário -, na hora de comprar as passagens para as tão sonhadas e merecidas férias, o consumidor vai gastar 23,52% do valor do bilhete com impostos. Ou seja, na compra de uma passagem no valor de R$ 500,00, R$ 117,60 vão para os cofres públicos.

Além disso, de acordo com o instituto, no pagamento da hospedagem estão embutidos 30,76% em impostos e, na hora de jantar em um restaurante, 33,51% do valor da conta são referentes aos tributos.

Sonhos x impostos

Na compra do carro zero, o brasileiro é o povo que mais paga impostos. Entre IPI, ICMS, PIS, Cofins, quase 40% do valor do veículo são destinados aos tributos.

Para se ter uma idéia, na compra de um carro popular, no valor de R$ 30 mil, por exemplo, cerca de R$ 11,625 mil vão para o governo. A Itália, por exemplo, que aparece como o segundo país com os impostos mais altos na compra de veículos, de acordo com a Anfavea, destina 16,7% do valor do carros aos cofres públicos.

Confira o ranking da Anfavea sobre a participação dos tributos no preço do carro:

PaísParticipação dos tributos (%)
Brasil38,75
Itália16,7
Reino Unido14,9
Espanha13,8
Alemanha13,8
Japão9,1
Estados Unidos6,1

Fonte: Anfavea/2005 e IBPT/2007

Compartilhe