Desabando em Wall Street

Snap: por que as ações da controladora do Snapchat desabaram 39% após o balanço do 2º tri?

Snap registrou perda de força nos seus números e atribuiu seus resultados à desaceleração da demanda por sua plataforma de anúncios online

Por  Equipe InfoMoney -

A Snap (S1NA34) divulgou na quinta-feira (21) resultado trimestral abaixo do esperado, pressionado por efeitos de alta da inflação e crescente competição com apps rivais como TikTok.

Embora a empresa tenha tido crescimento da base de usuários acima do previsto por Wall Street, suas ações desabaram após a divulgação do resultado no pós-mercado. No pré-market desta sexta-feira (22), os ativos caíam 33,27%, a US$ 10,90, por volta das 9h20 (horário de Brasília). Os papéis fecharam com queda de 39,14%, a US$ 9,95.

A controladora do Snapchat foi a primeira das grandes empresas de tecnologia a divulgar resultados de segundo trimestre, com os números se apresentando como um termômetro inicial sobre as condições do mercado. Twitter (TWTR34) divulgou seus números nesta manhã.

“Não estamos satisfeitos com os resultados que estamos entregando, apesar dos ventos contrários”, afirmou a Snap em comentários divulgados antes de teleconferência com analistas.

O faturamento do segundo trimestre somou US$ 1,11 bilhão, aumento de 13% ante mesmo período do ano anterior. O número ficou abaixo da média dos US$ 1,14 bilhão da expectativa e analistas, segundo dados da Refinitiv.

A Snap afirmou que recentes mudanças em configurações de privacidade em iPhones, desafios macroeconômicos e aumento da competição na venda de espaço publicitário contribuíram para um crescimento de receita “substancialmente mais lento”.

A companhia afirmou que pretende desacelerar contratações de maneira significativa, investir nos negócios de publicidade e encontrar novas fontes de receita para crescer em ritmo mais acelerado.

Os usuários diários ativos do Snapchat cresceram 18% ano a ano, para 347 milhões, superando a média de previsões do mercado, de 344 milhões.

A Snap afirmou que a receita até agora no terceiro trimestre está estável ante mesmo período do ano passado e não informou uma estimativa para os próximos meses porque a “visibilidade continua incrivelmente desafiadora”.

A companhia também anunciou um programa de recompra de ações de US$ 500 milhões

“A divulgação de resultados é o capítulo mais recente de um ano difícil para o Snap, cujas ações perderam quase dois terços de seu valor em 2022. Em maio, a companhia disse que não cumpriria a orientação do segundo trimestre definida no mês anterior, levando a um tombo de 43% no preço das ações”, destaca a XP.

Após a divulgação do balanço, analistas de grandes bancos passaram a revisar as suas projeções para o Snap.

O Goldman Sachs reduziu a recomendação para o papel de compra para neutra e cortou o preço-alvo de US$ 25 para US$ 12. Os analistas apontaram que o resultado foi bastante negativo com uma mistura de perda de receita, um comentário indicando receita estável no terceiro trimestre na comparação ano a ano (apesar da base de comparação baixa) e uma série de fatores desafiadores citados, incluindo o ambiente macroeconômico, intensidade competitiva sustentada do setor para anúncios e um longo período de necessidade de reposicionar os negócios de anúncios.

“Acreditamos que a Snap será uma ação sem grandes catalisadores no curto/médio prazo, à medida que os investidores digerem um novo normal de crescimento de receita deprimido, contratação otimizada (enquanto ainda faz investimentos na evolução da plataforma) e baixa/nenhuma visibilidade quanto à melhoria desempenho operacional (conforme refletido em um mix de nossas novas estimativas de receita entre 20% e 30% menores em 2023/2024 em relação aos níveis anteriores)”, avaliam os analistas do Goldman.

O Morgan Stanley destacou que está colocando o seu modelo em revisão após a divulgação dos resultados. Os analistas também apontaram uma queda mais acentuada dos anúncios no trimestre, o enfraquecimento do ambiente de gastos com anúncios e fatores micro impactando o negócio.

“Embora julho tenha se recuperado para um crescimento estável, é importante lembrar que a composição de crescimento vem de uma base de comparação mais fácil. Mais importante do que as bases de comparação anuais, achamos que o enfraquecimento das macrotendências é o que mais importará para determinar o ritmo de crescimento de curto prazo”, avaliam os analistas.

Para eles, o Snap precisará mostrar disciplina de gastos operacionais dada sua base de lucro bruto menor. Para o Morgan, a abordagem da empresa sobre diminuir contratação e focar no investimento é fundamental devido aos desafios de receita. “Esperamos que o Snap aumente significativamente sua disciplina e diminua contratação para proteger o fluxo de caixa livre agora e proporcione um crescimento duradouro após a recuperação”, avaliam os analistas.

(com Reuters)

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

 

 

.

Compartilhe