Serasa: grandes e médias empresas levam à queda na qualidade de crédito

Índice geral de avaliação de risco de crédito das empresas registrou 95,7 pontos, aponta Serasa Experian

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Entre janeiro e março, o índice geral de avaliação de risco de crédito das empresas registrou 95,7 pontos, apresentando ligeira queda em relação aos dois trimestres anteriores, quando o índice atingiu 95,8 pontos.

Os dados fazem parte do novo indicador de qualidade de crédito das empresas feito pelo Serasa Experian divulgados nesta quinta-feira (21). A avaliação é feita em uma escala de zero a 100 pontos; assim, quanto maior a pontuação, melhor a qualidade de crédito e, consequentemente, menor a probabilidade de inadimplência.

Porte

Segundo a avaliação da instituição, a pequena queda da qualidade de crédito das empresas nos primeiros três meses do ano foi influenciada pelos recuos das médias e, principalmente, grandes empresas. No último trimestre do ano passado, as médias empresas registraram 98,7 pontos de qualidade de crédito. Já nos primeiros três meses de 2009, este índice caiu para 98,6 pontos.

Aprenda a investir na bolsa

Nas grandes companhias, os resultados foram parecidos. Entre outubro e dezembro de 2008, essas empresas registraram 98,6 pontos, e no primeiro trimestre deste ano, 98,5 pontos. Essa pequena variação de pontos, no caso, 0,1, permanece nesses dois portes de empresas desde o primeiro trimestre de 2007, variando ora positivamente, ora negativamente.

Por outro lado, as micro e pequenas empresas foram as que apresentaram o menor índice durante os três primeiros meses deste ano, com 95,5 pontos.

Setores

Uma explicação para o desempenho das médias e grandes empresas é que o setor econômico mais atingido pela crise financeira mundial foi o industrial e este é composto basicamente por empresas destes portes, que, até então, mais demandavam crédito, por conta dos seus investimentos baseados na expansão do mercado doméstico e das exportações.

No primeiro trimestre de 2009, o setor industrial registrou 95 pontos no índice de qualidade de crédito, ou seja, 2,7 pontos abaixo do resultado nacional.

Além do setor industrial, o comércio também registrou nos primeiros três meses do ano qualidade de crédito abaixo da média nacional, com 94,7 pontos.

Entretanto, o segmento de Serviços e o grupo demais setores, que engloba as empresas financeiras do setor primário e do terceiro setor, ficaram acima da média nacional, com 96,4 e 96,9 pontos, respectivamente, no período de análise.

Regiões

PUBLICIDADE

Na avaliação regional, o Sudeste é o local que concentrou a mais elevada qualidade de crédito das empresas com 96,2 pontos. Em seguida, aparece a região Sul com 95,9 pontos, ambas acima da média nacional

Já as empresas do Nordeste, Centro-Oeste e Norte ficaram abaixo da média nacional no primeiro trimestre do ano, com 95,2, 94,2 e 92,5 pontos, nesta ordem.

Sobre o estudo

O estudo foi realizado com os CNPJs de 450 mil empresas que constam na base de dados da instituição e foi segmentado por região geográfica, porte e setor de atuação. Vale ressaltar que o início do indicador é o primeiro trimestre de 2007.