Mudando o destino

Sem China, frigoríficos brasileiros aumentam exportação para EUA

As exportações de carne bovina do Brasil para os EUA aumentaram 183% nos primeiros 10 meses do ano, segundo dados do Ministério da Economia

Por  Bloomberg -

(Bloomberg) — Frigoríficos brasileiros excluídos do mercado de carne bovina da China têm encontrado certo alívio nos Estados Unidos.

As exportações de carne bovina do Brasil para os EUA aumentaram 183% nos primeiros 10 meses do ano, segundo dados do Ministério da Economia. Os embarques crescem há meses, e a tendência se intensificou depois que a China limitou as importações de carne vermelha brasileira no início de setembro devido a dois casos “atípicos” de doença da vaca louca.

Embora a quantidade enviada aos EUA corresponda a uma fração dos gigantescos volumes encomendados pela China, os maiores exportadores brasileiros apontam o mercado americano como a principal alternativa no momento. O consumo no Brasil está desaquecido em meio à crise econômica, enquanto outros grandes importadores de carne, como Japão e Coreia do Sul, ainda não permitem a entrada de carne bovina brasileira.

“A reabertura dos EUA nos permitiu levar para lá volumes que iriam para a China”, disse na semana passada Edison Ticle, diretor financeiro da Minerva (BEEF3)

A Marfrig Global Foods (MRFG3), que controla a americana National Beef, disse que as exportações para a maior economia do mundo têm crescido e que a expectativa é de aumento. A empresa espera que mais dois frigoríficos do grupo obtenham permissão para exportar para os EUA este ano, segundo Miguel Gularte, diretor-presidente da Marfrig.

Os EUA reabriram o mercado à carne brasileira em 2020 após uma proibição de mais de dois anos.

Quer aprender a investir em criptoativos de graça, de forma prática e inteligente? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir

Compartilhe