Resultados do banco

Santander (SANB11) tem lucro gerencial de R$ 4,34 bi no 3º tri, alta de 12,5%; banco aprova R$ 3 bi em dividendos

O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) foi de 22,4%, maior patamar histórico

Por  Equipe InfoMoney -

O Santander (SANB11) registrou lucro gerencial de R$ 4,34 bilhões no terceiro trimestre de 2021 (3T21), crescimento de R$ 12,5% em relação ao mesmo período de 2020. Na comparação com o segundo trimestre de 2021, a alta foi de 4,1%.

Já o lucro líquido societário atingiu R$ 4,272 bilhões no 3T21, incremento de 12,1% na base anual.

O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) foi de 22,4%, maior patamar histórico.

A margem financeira líquida atingiu R$ 10,9 bilhões no 3T21, aumento de 17,6% na comparação ano a ano.

A carteira de crédito totalizou R$ 450,2 bilhões em setembro de 2021, com destaque para a carteira de pessoa física e PMEs.

O resultado de provisão para créditos de liquidação duvidosa somou R$ 3,676 bilhões, aumento de 26,1% no ano e de 10,6% no trimestre, alinhado com o crescimento da carteira, destacou a instituição. O custo de crédito ficou em 2,9%.

A receita de serviços do banco subiu 13,4% no terceiro trimestre, atingindo R$ 4,83 bilhões.

Segundo o Santander, o resultado foi impulsionado pela boa performance da margem financeira e de comissões, ambas suportadas pelo aumento da base de clientes, com maior transacionalidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As despesas aumentaram 7,4% no ano, com crescimento de 7,3% no trimestre, , totalizando R$ 5,48 bilhões.

Carteira de crédito

A carteira de crédito ampliada, que inclui as outras operações com risco de crédito e avais e fianças, atingiu R$ 526,488 bilhões, incremento de 13,1% no ano

A carteira de crédito totalizou R$ 450,2 bilhões em setembro de 2021, com destaque para a carteira de pessoa física e PMEs.

Os ativos totais atingiram R$ 970,041 bilhões em setembro de 2021, queda de 1,2% no ano.

De acordo com o banco, a diminuição foi impactada pela queda na carteira de câmbio.

O patrimônio líquido ficou em R$ 78,8 bilhões em setembro de 2021.

Enquanto isso, as despesas de provisão de crédito duvidoso atingiu R$ 4,80 bilhões no trimestre, crescimento de 10,6% na comparação ano a ano.

Provento

No dia 26 de outubro de 2021 foi aprovada a distribuição de R$ 3,0 bilhões de dividendos referente ao terceiro trimestre de 2021.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os investidores que terão direito de receber os dividendos são os detentores de ações de emissão do banco ao final do pregão de 4 de novembro deste ano. A partir do dia 5 de novembro, os ativos serão negociados “ex-dividendos“.

Serão pagos R$ 0,38298082731 em dividendos por ação ordinária (SANB3), R$ 0,42127891003, por papel preferencial (SANB4), e R$ 0,80425973734, por unit (SANB11), que corresponde a uma ação ordinária e uma preferencial.

Os proventos serão pagos a partir do dia 3 de dezembro de 2021, sendo imputados integralmente aos dividendos obrigatórios a serem distribuídos pelo banco referentes ao exercício de 2021, sem nenhuma remuneração a título de atualização monetária.

Análise

O Bradesco BBI avaliou que o Santander Brasil apresentou um bom conjunto de resultados no 3T21, embora o desempenho tenha sido impulsionado principalmente por um crescimento inesperadamente forte nos ganhos de trading, enquanto a margem com clientes também foi um fator positivo no trimestre.

O banco ressalta que, embora o custo do risco tenha aumentado e tenha ficado acima das estimativa, observa que tanto o custo do risco quanto os NPLs ainda estão abaixo dos níveis pré-pandêmicos.

Dessa forma, o Bradesco BBI espera aumentos adicionais no custo do risco, uma vez que os inadimplentes devem continuar se normalizando para níveis pré-pandêmicos, aliados a uma mudança no mix do portfólio.

O banco diz também que as receitas de prestação de serviços também foram decentes, apesar da desaceleração em relação ao 2T21, enquanto o crescimento das despesas operacionais reflete o esforço comercial de captação de clientes e aumentos salariais.

Em relação ao pagamento de dividendos de R$ 0,80 por unit, o Credit Suisse avaliou como positivo. Isso porque, segundo banco, implica em um payout de 55% desde o 1T20 (86% nos 9M21e).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dessa forma, o banco suíço vê o Santander compensando as receitas reduzidas do ano passado, caminhando para a estimativa de payout de 60% para os próximos anos.

O Bradesco BBI mantém recomendação neutra para ações do Santander (SANB11), e preço-alvo de R$ 48,00, frente à cotação de terça-feira (26) de R$ 35,07.

Curso inédito “Os 7 Segredos da Prosperidade” reúne ensinamentos de qualidade de vida e saúde financeira. Faça sua pré-inscrição gratuita.

 

Compartilhe