Radar InfoMoney

Santander prepara proposta pelo Citi Brasil, Eletrobras na Operação Pripyat e mais 15 notícias

Confira os destaques do noticiário corporativo desta quarta-feira (6)

SÃO PAULO – O noticiário corporativo desta quarta-feira (6) é bastante movimentado, com renúncia do segundo presidente da Estácio em 20 dias, além da possibilidade do Santander entregar a proposta final pela filial do Citi. Veja os destaques: 

Santander e Citi
De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o  Santander passou pela primeira fase de análise dos números do Citibank Brasil e se prepara para entregar uma proposta final pela filial do banco americano até o fim de julho.  Segundo apurou o Broadcast, além de Santander, Itaú Unibanco (ITUB4) e Safra enviaram propostas não vinculantes (em que não há obrigação de compra) ao banco no mês passado. 

De acordo com um executivo do banco espanhol ouvido pelo jornal, o Santander Brasil ainda estuda o valor que será proposto e, até agora, não há um montante definido. O prazo para entrega até o fim do mês foi estabelecido pela direção do Citibank no Brasil. O Citi decidirá sobre o negócio no fim de agosto ou início de setembro. 

Estácio
Em meio a um importante momento de sua história, a Estácio (ESTC3) vê o seu diretor presidente interino renunciar apenas 20 dias após a primeira desistência do cargo. No dia 16 de junho, o então CEO Rogério Frota Melzi pediu para deixar a companhia, que colocou Chaim Zaher de forma interina na posição. Porém, nesta terça-feira (5), Zaher enviou uma carta renunciando ao cargo. Com isso, o Diretor Financeiro e de Relações com Investidores da companhia, Pedro Thompson Landeira de Oliveira, assumirá as funções de Diretor Presidente até que o Conselho de Administração se reúna para eleger uma nova pessoa para a função. Zaher recomendou o atual Diretor de Operações, Gilberto Teixeira de Castro para assumir seu lugar.

No último dia 1 de julho, a Estácio informou que aceitou a proposta da Kroton (KROT3) para a combinação dos negócios, numa negociação no valor de R$ 5,36 bilhões. De acordo com a referida proposta, a combinação da Kroton e Estácio resultaria: (a) na titularidade, pela Kroton, da totalidade das ações de emissão da Estácio; e (b) no recebimento, para cada ação ordinária de emissão da Estácio, de 1,281 ação ordinária de emissão da Kroton e (c) na distribuição de dividendos extraordinários aos acionistas da Estácio no valor de R$ 170 milhões, representando aproximadamente R$ 0,55 por ação da Estácio. 

O Conselho de Administração da empresa tem uma reunião marcada para o dia 8 de julho para apreciar novamente todas as condições da operação para posterior convocação de assembleia geral extraordinária da Estácio. “A aprovação de tal deliberação dependerá, evidentemente, do sucesso das tratativas do Comitê”, informou a Estácio.

Eletrobras
A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje mais uma operação sobre desvios de empreiteiras nas obras da Usina Nuclear de Angra 3, no município de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. A unidade é gerida pela Eletronuclear, uma das subsidiárias da Eletrobras (ELET3;ELET6).

 Um dos alvos é o ex-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro da Silva. Ele deixou o cargo no ano passado após ser citado em delações da Lava Jato e chegou a ser preso preventivamente, acusado de receber proprinas de até R$ 4,5 milhões. Othon depois teve concedida prisão domiciliar.

A Operação Pripyat, um desdobramento da 16ª fase da Lava Jato, investiga a atuação de um “clube de empreiteiras” no pagamento de proprinas ligadas às obras da usina. Segundo a PF, seis funcionários da empresa são alvo de prisão preventiva. 

PUBLICIDADE

Os crimes investigados são de corrupção, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Prypiat é o nome do município que foi arrasado pelo desastre da usina nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, e hoje é uma cidade fantasma.

Petrobras
A Petrobras (PETR3;PETR4) informou que concluiu esta semana as investigações da comissão interna de apuração sobre desvios em contratos de fornecimento de mão de obra e prestação de serviços das empresas Hope e Personal e sobre o Benefício Farmácia, que verificaram desvios de normas e procedimentos internos que constituem violações passíveis de punições. As investigações apuraram o envolvimento de 26 pessoas e recomendaram sanções a 20 delas. A Petrobras conduz, regularmente, apurações internas de denúncias, além de encaminhar os relatórios finais às autoridades competentes.

Segundo notícia do Valor de ontem, a investigação da Petrobras sobre irregularidades nos contratos de fornecimento de mão-de-obra terceirizada da Hope Recursos Humanos e da Personal Service Recursos Humanos e com o Benefício Farmácia detectou envolvimento de 26 funcionários, sendo que 20 receberam sanções por desvios de conduta que a empresa não especificou. Desses, três foram demitidos na sexta-feira, inclusive “empregados com níveis gerenciais”, mas não foram mencionados.

Sabesp
A Sabesp (SBSP3) diz não ter conhecimento sobre qualquer tipo de pagamento irregular referente ao projeto Aquapolo, empresa na qual detém participação minoritária, segundo comunicado emitido a pedido da CVM para esclarecer notícia publicada na Revista Época.

Em delação, Fábio Cleto teria dito que recebeu R$ 400.000 em ligação ao projeto Aquapolo com o fundo FI-FGTS, segundo a Revista Época. A Aquapolo é uma SPE entre Odebrecht Ambiental e Sabesp para tratamento e fornecimento de água de reúso industrial para o Polo Petroquímico do ABC, região Metropolitana de SP.

Cosan
A Cosan Luxembourg informou que a recompra de dívida alcança 81% das notas 2018. O total de US$ 378,7 milhões das notas para 2023, ou 75,74%, e R$ 686,5 milhões, ou 80,77%, das notas para 2018 foram validamente ofertadas nos termos da recompra, disse Cosan Luxembourg em comunicado distribuído pela PR Newswire.

Destaque ainda para uma notícia que pode mexer com as ações do setor sucroalcooleiro, como Cosan (CSAN3). Segundo a Folha de S. Paulo e O Globo, o governo já considera elevar a Cide para recompor o caixa e entregar em 2017 uma meta menor que a deste ano. Esta medida pode beneficiar o setor de etanol, já que aumentaria os preços da gasolina e elevaria a competitividade do etanol. 

Daycoval
O Conselho de Administração da Daycoval (DAYC4) manifestou-se favoravelmente à OPA (Oferta Pública de Aquisição) para fechamento de capital. 

PUBLICIDADE

Alpargatas
A CVM determinou que a J&F apresente OPA da Alpargatas (ALPA4) até o dia 12 de julho. Caso a J&F descumpra a determinação, a venda de controle não será liberada.

Multiplus
A Multiplus (MPLU3) informou o mercado, na manhã desta quarta-feira (6), que firmou contrato com o Itaucard para a oferta, promoção, distribuição e comercialização de cartões de crédito co-branded, em todo território nacional. O acordo ainda será submetido ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), e somente será implementado após a aprovação da autoridade antitruste.

Diz comunicado enviado pela companhia ao mercado que o objetivo da companhia com o negócio é “oferecer aos participantes da rede Multiplus um produto que permita o acúmulo direto de pontos Multiplus por meio de uma conversão e bonificações diferenciadas”.

A companhia informou ainda que não antecipa resultados relevantes oriundos da parceria nos próximos 12 meses, mas manterá os acionistas e o mercado em geral informados sobre o assunto. Não foram revelados mais detalhes sobre o contrato.

Gol
Destaque para uma notícia da Folha de S. Paulo que pode mexer com as ações da Gol (GOLL4). Além do estudo para estabelecer um teto de 12% da alíquota do ICMS para o querosene, outras ações foram elaboradas para ajudar o setor aéreo. Além disso, as empresas foram beneficiadas com a revogação de medida que limitava a 10% o índice de cancelamento de voos de empresas que operam em Congonhas (SP) sem possibilidade de punição de perda do espaço para operar na unidade (“slots”). O limite agora passou para 20%.

General Shopping
O Conselho de Administração de General Shopping (GSHP3) aprovou oferta de troca de todos os US$ 150 milhões em bônus de dívida subordinados e perpétuos, segundo comunicado.

A oferta para cada US$ 1.000,00 em perpétuos serão pagos US$ 200,00 em novos Bonds e 1 certificados de depósito de ações (GDS). A troca envolve emissão, no exterior, pela GS Investments de até US$ 30 milhões em novos títulos 10%/12% Senior Secured PIK Toggle Notes com vencimento em 2026 com garantia. Entre as garantias está a de hipoteca em 2º grau sobre 50,1% do imóvel no qual está o “Parque Shopping Maia”. Os interessados que aderirem receberão ainda certificados de depósito de ações globais com lastro em ONs na proporção de 55 para cada GDS.

CVC
As reservas confirmadas no segundo trimestre de 2016 aumentaram 6,6% na comparação anual, informou a CVC (CVCB3) em prévia operacional. “As reservas Confirmadas da CVC (excluindo RexturAdvance e Submarino Viagens) totalizaram R$ 1,32 bilhão no segundo trimestre e R$ 2,61 bilhões no primeiro semestre”, disse a companhia.

PUBLICIDADE

O crescimento das reservas confirmadas no segundo trimestre foi ocasionado principalmente pelo forte crescimento das reservas no canal agente independente, com alta de 15% no período. As reservas confirmadas para embarque no mesmo trimestre cresceram 14% em comparação com o ano anterior. A companhia reporta 780,6 mil passageiros no período, com aumento de 1,4% dos passageiros embarcados na base anual.

Somos Educação
A Somos Educação (SEDU3) informou que  recomposição do free float deverá
ocorrer até 23 de junho de 2018.

Vale
A S&P rebaixou a Samarco, controlada por Vale (VALE5) e BHP, de B para CCC. O relatório da agência de classificação de risco cita “incertezas sobre o restabelecimento de licenças de exploração, com quebras recorrentes de covenants e saídas de caixa para o pagamento da dívida”. A perspectiva é negativa.

Telefônica
A ação da Telefônica Brasil (VIVT4) teve recomendação reduzida para equalweight (exposição em linha com a média do mercado) pelo Morgan Stanley.  

CCR
O Ministério Público Federal e o Tribunal de Contas da União querem barrar a tentativa do governo de renovar, sem licitação, as atuais concessões de rodovias federais, ressalta o Estadão. Está pronta em Brasília uma medida provisória que estende o período de concessão de estradas, como a Rodovia Presidente Dutra, sem a necessidade de um leilão com outras empresas. O MPF e o TCU consideram a medida inconstitucional, porque fere princípios básicos, como o da livre concorrência.

A MP que está na gaveta da Casa Civil antecipa a renovação de contratos que vencem a partir de 2021, dando mais prazos para as atuais concessionárias. O argumento do governo é de que um novo processo de licitação seria demorado e a renovação garante investimentos imediatos. O Estado apurou, no entanto, que o Ministério Público e a corte de contas veem uma série de razões para barrar essa prorrogação automática.

Além de privilegiar uma situação na qual haja concorrência entre interessados, o TCU cobra a entrega de compromissos pelas atuais concessionárias, como a CCR Nova Dutra, que atua na BR-116 entre São Paulo e Rio, e a Concer, que opera 180 km entre Rio e Petrópolis.

(Com Agência Estado, Agência Brasil e Bloomberg)