milho

Santa Catarina estuda viabilidade de transportar milho por ferrovias

Modelo de escoamento pode reduzir o custo de produção de suínos, aves e bovinos no Estado

SÃO PAULO – O governo de Santa Catarina se reuniu com a empresa de logística Sul da Rumo ALL, para estudar um projeto que viabilize o transporte de milho por meio de ferrovias. A intenção é de que a carga saia de Goiás ou do Mato Grosso e seja descarregada em Lages, região Serrana catarinense.

O transporte de milho utilizando rodovias e ferrovias pode ser uma alternativa para minimizar os custos de produção de suínos, aves e bovinos em Santa Catarina. Por ser um pólo da suinocultura e avicultura, a produção de milho no estado é insuficiente e o déficit é de aproximadamente 3 milhões de toneladas do grão por ano.

A proposta inicial é de que o milho seja carregado em Goiás ou no Mato Grosso, estados com uma grande produção do grão, e seriam descarregados em Lages, de onde seria transportado via caminhões para as agroindústrias ou produtores. Segundo o secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Videira, Dorival Carlos Borga, para minimizar o déficit de milho no estado, trazendo 1,5 milhão de toneladas, seriam necessários 116 vagões por dia, o que representa 39 mil vagões de trem por ano. 

PUBLICIDADE

Um grupo de trabalho deverá ser criado para analisar a viabilidade técnica e financeira do projeto. Para o vice-presidente da Rumo ALL, Darlan de David, o investimento em ferrovias deve ser encarado como uma solução estrutural para o  setor produtivo, por isso a necessidade de um projeto estratégico que pense nas implicações a longo prazo.