Conflito na Europa

Rússia e Ucrânia têm nova rodada de negociações nesta segunda em meio a ataques a Kiev

Reunião ocorre em meio a novos ataques de tropas russas a Kiev; ONU diz que centenas de civis já foram mortos— incluindo 43 crianças

Por  Equipe InfoMoney -

Rússia e Ucrânia voltam à mesa de negociações nesta segunda-feira (14) para tentar chegar a uma solução para a guerra, que começou com invasão de tropas russas ao país vizinho no fim de fevereiro e já deixou centenas de civis mortos.

Ao menos 596 civis foram mortos — incluindo 43 crianças — e mais de mil ficaram feridos, segundo balanço do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ONU) divulgado no domingo (13).

A reunião ocorre em meio a novos ataques de tropas russas a Kiev, capital da Ucrânia.  Ao menos uma pessoa morreu e 12 ficaram feridas em um ataque contra um prédio residencial em Kiev nesta segunda.

Além de civis, a guerra tem deixado milhares de mortos nos confrontos.

Somente em Mariupol, cidade portuária que fica perto da Crimeia, região ucraniana anexada pela Rússia em 2014, mais de 2,1 mil pessoas morreram desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro. A cidade é considerada estratégica por ter saída para o Mar de Azov.

Na região de Lviv, a cerca de 25 km da fronteira entre Ucrânia e Polônia, um ataque aéreo da Rússia atingiu uma área militar e deixou ao menos 35 mortos e 134 feridos no domingo (13), segundo o governo local.

Também no domingo, o jornalista americano Brent Renaud, que trabalhou no jornal “The New York Times” até 2015, foi alvejado e morto por soldados russos. Ele foi atingido na cidade de Irpin, nos arredores de Kiev.

Rodada de negociações

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, anunciou ontem que a nova rodada de negociações entre as delegações da Rússia e da Ucrânia será realizada por videoconferência.

A declaração foi dada após o conselheiro do presidente Volodymyr Zelenski, Mikhailo Podoliako, indicar que a Ucrânia não pretende recuar, mas dizer que os diálogos têm avançado.

“Não vamos ceder em princípio em nenhuma posição, a Rússia agora entende isso. [Mas] a Rússia já está começando a falar de forma construtiva”, afirmou o conselheiro em um vídeo divulgado nas redes sociais. “Acho que alcançaremos alguns resultados literalmente em questão de dias”.

Podoliako diz que as demandas ucranianas “são o fim da guerra e a retirada das tropas”. “Vejo um entendimento e há um diálogo”.

Para o negociador russo Leonid Slutski, citado pela agência de notícias RIA, as negociações fizeram progressos substanciais e pode aumentar “nos próximos dias em uma posição conjunta de ambas as delegações, em documentos para assinatura”.

* Com informações da Ansa.

Ainda não investe no exterior? Estrategista da XP dá aula gratuita sobre como virar sócio das maiores empresas do mundo, direto do seu celular – e sem falar inglês

Compartilhe