RADAR INFOMONEY A expansão da JBS, de olho em carne vegetal, é assunto do programa desta segunda-feira; assista

A expansão da JBS, de olho em carne vegetal, é assunto do programa desta segunda-feira; assista

,

Resumo Diário

,

arrow_forwardMais sobre

Depois da forte alta de 1,27% na segunda-feira, o Ibovespa teve forte volatilidade nesta sessão, antes de firmar-se no campo negativo e permanecer até o fechamento desta terça-feira em baixa. O índice fechou em queda de 1,10%, aos 57.563 pontos, intensificando as perdas no final da sessão. O giro financeiro foi de R$ 6,89 bilhões.

Após ter se descolado positivamente do mercado acionário até o início da tarde, o benchmark da bolsa intensificou as perdas, sendo elas bem mais acentuadas que nos EUA, que tiveram leves altas e quedas nesta sessão. Chamou a atenção o discurso de Barack Obama, afirmando que é possível evitar o abismo fiscal no início do ano seguinte.

Altas e baixas do índice
Por aqui, chamou a atenção do mercado a forte alta das ações da MMX Mineração, com ganhos de 6,18%, aos R$ 3,95, seguidas pelos papéis da Transmissão Paulista, para R$ 31,98, com ganhos de 5,20%.

Já a Cetip teve alta de 4,18%, após o Barclays elevar a recomendação para a companhia. Na outra ponta, esteve em destaque a forte queda de 15,50% das ações da Marfrig, atingindo os R$ 9,05. Com o atual clima de incertezas, o mercado tem apresentado cada vez mais movimentos mais agressivos – tanto para cima quanto para baixo.

Vale destacar ainda as ações do setor imobiliário, que tiveram alta no início da sessão ancoradas pelas medidas de estímulo anunciadas pelo governo brasileiro, mas perderam forças no final da sessão.

Incentivos à construção civil
Na agenda de indicadores, o dia é de poucas novidades. Nesta data, chamou a atenção os números de produção industrial aqui no Brasil , divulgado pelo IBGE. Depois de registrar queda em setembro, a produção industrial avançou 0,9% em outubro, ficando abaixo das expectativas. Em relação ao mês de outubro do ano passado, o indicador apresentou variação positiva de 2,3%, interrompendo a sequência de 13 meses de taxas negativas nessa base de comparação. No entanto, no acumulado dos dez primeiros meses do ano, o indicador registra queda de 2,9%.

Mas se destaca o anúncio de incentivos à construção civil. Na véspera, o setor já mostrava fortes ganhos na expectativa por medidas para estimular o setor. Nesta manhã a Folha de S. Paulo revelou que Dilma Rousseff anunciará a desoneração da folha de pagamento nesta terça-feira durante evento para comemorar a entrega de um milhão de casas do programa Minha Casa, Minha Vida. Outras medidas também devem ser anunciadas.

Já na Europa, o foco se volta para a reunião dos ministros de Finanças da Zona do Euro, que devem discutir a criação de um supervisor único dos bancos. O encontro acontece um dia após a Grécia anunciar uma recompra de € 10 bilhões em títulos de dívida com vencimentos entre 2023 e 2042.

Dólar
O dólar comercial fechou em queda de 0,21% terminando a R$ 2,1160 na venda, na segunda queda seguida, com novas medidas do Banco Central.

PUBLICIDADE

Renda Fixa
As taxas dos principais contratos de juros futuros fecharam em queda na sessão, refletindo os dados fracos da indústria. O contrato de juros de maior liquidez nesta terça-feira, com vencimento em janeiro de 2014, registrou baixa de 0,09 ponto percentual, aos 7,09% ante 7,18%.

No mercado de títulos da dívida externa, o título brasileiro mais líquido, o Global 40, fechou estável, a 126,81% do valor de face. Já o indicador de risco-País fechou em alta de três pontos-base, aos 155 ante 152 pontos do dia anterior, com alta de 1,97%.