,

Resumo Diário

,

arrow_forwardMais sobre

O Ibovespa registrou a sua terceira valorização seguida na sessão desta terça-feira, em meio ao aumento de chances de que um acordo entre democratas e republicanos seja selado para resolver a questão do abismo fiscal. Com isso, o índice registrou ganhos de 0,63%, aos 59.623 pontos, maior patamar desde 18 de outubro, quando atingiu os 59.733 pontos. O giro financeiro foi de R$ 7,47 bilhões.

Na tarde desta terça, as declarações de John Boehner, presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, sobre o aumento de chances de um acordo geraram otimismo no mercado, fazendo com que o benchmark da bolsa subisse 0,84%, acompanhando as bolsas dos EUA.

Mineradoras e Rossi avançam; Marfrig tem forte queda
Em destaque, estiveram as ações da Rossi Residencial, que lideraram os ganhos do índice, com alta de 5,48%, aos R$ 4,62, seguidas pelos papéis da B2W e dos papéis ON da Eletrobras. Estiveram com forte altas também as ações de empresas mineradoras e siderúrgicas, em meio ao bom humor externo e à melhora das perspectivas para o setor.

Na ponta oposta, estiveram mais uma vez as ações dos frigoríficos Marfrig e JBS. Já os papéis de imobiliárias, exceto os da Rossi, tiveram fortes perdas, com destaque para Cyrela, MRV, BR Malls e PDG Realty.

Fed e política italiana seguem no radar
Na ausência de indicadores econômicos de peso, os investidores estão de olho na reunião do Federal Reserve. Economistas esperam que o Fed anuncie uma nova rodada de compra de títulos público ao final da reunião, na próxima quarta-feira. O programa deve substituir os estímulos vindos da “Operação Twist”, que expira no final deste ano.

Além do cenário norte-americano, a futura renúncia do primeiro-ministro italiano, Mario Monti, continua causando nervosismo no mercado. Contudo, na véspera, o premiê tentou tranquilizar os investidores, ao dizer que as reações dos mercados “não devem ser dramatizadas”. Ele se mostrou confiante de que o governo que vencer as próximas eleições gerais da Itália “será altamente responsável” e orientado para a União Europeia.

Entre os poucos indicadores da agenda, destaque para o sentimento econômico na Alemanha, que registrou forte alta no mês de dezembro, graças a dados econômicos encorajadores dos Estados Unidos, entrando em território positivo pela primeira vez desde maio.

Por aqui, a taxa de desemprego na indústria brasileira registrou alta de 0,4% em outubro deste ano, na comparação com o mês imediatamente anterior, de acordo com o IBGE. Já nos EUA, o Departamento de Comércio apresenta a balança comercial mensal do país.

Dólar
O dólar comercial fechou quase estável, com alta de 0,01% e terminando a R$ 2,0776 na venda.

PUBLICIDADE

Renda Fixa
As taxas dos principais contratos de juros futuros registraram nova alta, em meio às indicações do presidente do BC de que não haveria mais cortes na Selic por um período prolongado. O contrato de juros de maior liquidez nesta segunda-feira, com vencimento em janeiro de 2014, fechou aos 7,10%, com alta de 0,05 ponto percentual em relação à sessão anterior.

No mercado de títulos da dívida externa, o título brasileiro mais líquido, o Global 40, fechou em queda de 0,08%, a 126,71% do valor de face. Já o indicador de risco-País fechou com queda de três pontos-base, aos 151 pontos ante 154 pontos da sessão anterior, registrando baixa de 1,95%.