Resultado da construtora

Lavvi (LAVV3) tem lucro líquido 24% maior no 1º trimestre de 2022, a R$ 21 milhões

Já o Ebitda recuou 34% no primeiro trimestre deste ano, para R$ 13,344 milhões, enquanto a receita teve alta de 10%

Por  Fernando Lopes -

A incorporadora Lavvi (LAVV3) reportou neste primeiro trimestre de 2022 (1T22) lucro líquido do controlador de R$ 21,081 milhões, o que representa 24% a mais do que os R$ 17,054 milhões do primeiro trimestre de 2021 (1T21).

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) recuou 34% no primeiro trimestre deste ano, para R$ 13,344 milhões, contra os R$ 20,161 milhões do 1T21. A margem Ebitda (Ebitda sobre receita líquida) caiu 8,0 pontos percentuais, para 13,4%.

As despesas administrativas e gerais se tornaram representativas no período, diz a Lavvi. “Além disso, a despesa oriunda da desistência do terreno Ricardo Jaffet adicionalmente onera o resultado, fato que explica tal redução na margem Ebitda”.

A receita líquida subiu 10%, a R$ 99,562 milhões neste trimestre analisado. No 1T21, o valor ficou em R$ 90,432 milhões.

A própria empresa reconhece que este foi um trimestre “mais tímido”: “apuramos um trimestre mais tímido em termos de receita líquida, principalmente em função da venda líquida concentrada em produtos novos; e da comedida evolução física de obra de projetos relevantes”.

“O mix de receita foi sensibilizado por projetos com margens menores que a média, fato que explica a redução em nossa margem bruta na comparação trimestral”, explica.

A empresa divulgou também um Volume Geral de Vendas (VGV) de R$ 230,269 milhões, alta de 9% em relação ao 4T21 (não há comparação com o 1T21), embora o VGV apenas da participação Lavvi tenha caído 23%, a R$ 110,391 milhões.

A participação da Lavvi no total de lançamentos do trimestre caiu 29 pontos percentuais, para 51%.

No total, apenas um projeto foi lançado no período (no 4T21 também foi apenas um) e 258 unidades, queda de 37%.

Assim, as vendas líquidas totais avançaram 5%, para R$ 162,473 milhões, com a participação da Lavvi recuando 17%, para R$ 91,109 milhões. No total, foram 208 unidades vendidas no trimestre, queda de 21%.

No 1T22, a VSO consolidada (vendas sobre oferta, em VGV) foi de 20%, redução de 1,4 pp em relação à VSO do trimestre anterior.

Já os distratos os representaram 3% das vendas brutas, o que corresponde a um VGV de R$ 4 milhões e a 9 unidades, sendo que 3 destas foram revendidas dentro do próprio trimestre, informa a Lavvi.

A dívida líquida da empresa diminuiu 29%, para R$ 625,815 milhões, ante R$ 884,035 milhões do 1T21. Ao final do 1T22, o estoque a valor de mercado era de R$ 627milhões, ou 722 unidades.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe