Pagamentos

Cielo (CIEL3) tem alta de 35% no lucro recorrente do 1º trimestre e aprova JCP

Cielo aprova JCP no montante de R$ 65,137 milhões, referentes ao 1º trimestre, de R$ 0,0242 por ação, que ficam ex-JCP a partir de 11/05

Por  Equipe InfoMoney -

A Cielo (CIEL3) registrou um lucro recorrente de R$ 184,6 milhões, representando uma alta de 35,9% na comparação com o mesmo período do ano passado. Sem considerar o resultado recorrente, o lucro teria caído 23,5% em relação ao 1T21.

Segundo a empresa, o primeiro trimestre do ano passado teve o seu lucro influenciado de forma positiva, ampliando a base comparação, pelos seguintes efeitos: ganhos de capital com a venda da coligada Orizon, cessão e atualização monetária da plataforma Elo e reversão das provisões legadas do projeto New Elo.

Segundo a empresa, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) consolidado atingiu R$ 711,5 milhões, registrando expansão de 16,0% sobre 1T21.

Entretanto, houve efeitos extraordinários nas comparações com 1T21 e 4T21, o que limitou o crescimento do Ebitda, destacou a empresa.

Dessa forma, o Ebitda recorrente registrou aumento de 52,1% sobre o 1T21. “A comparação com o 4T21 é prejudicada pela maior concentração de vendas do varejo nos últimos meses de cada exercício”, acrescentou.

A margem Ebitda ajustado atingiu 25,8% no período, alta de 3,2 p.p. frente a margem registrada em 1T21.

A receita operacional liquida consolidada alcançou R$ 2,762 bilhões, um aumento de 1,5% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior e redução de 12,1% sobre o 4T21.

“Destaque para Cateno e Cielo Brasil, com crescimento de 27,6% e 14,1% sobre 1T21, respectivamente”, destacou.

Mais dados do resultado de Cielo

O lucro bruto totalizou R$ 913,9 milhões nos três primeiros meses de 2022, crescimento de 32% em relação ao mesmo trimestre de 2021.

As despesas operacionais somaram R$ 467,6 milhões no primeiro trimestre deste ano, elevação de 27,4% frente ao 1T21.

O resultado financeiro foi negativo em R$ 83,2 milhões no 1T22, revertendo os ganhos financeiros de R$ 34,8 milhões no 1T21.

Em 31 de março de 2022, a companhia registrou total de disponibilidades de R$ 3,512 bilhões, uma redução de R$ 3,571 bilhões frente a 31 de março de 2021. A redução das disponibilidades é explicada pelo forte aumento de capital alocado em produtos de prazo.

Na data base de encerramento do balanço, a Cielo registrou um total de empréstimos e financiamentos de R$ 5,835 bilhões, uma redução de R$ 3,384 bilhõesquando comparado a 31 de março de 2021. A redução do total de empréstimos e financiamentos em relação ao ano anterior é explicada pela liquidação das debêntures públicas.

Cielo (CIEL3]) aprova JCP

Segundo a empresa, o JCP no montante de R$ 65,137 milhões é referentes ao 1T22, correspondentes a R$ 0,02421156928 por ação.

Os JCP serão distribuídos e pagos aos acionistas no dia 24 de maio, com base nos acionistas do dia 10 de maio próximo, sendo que as ações passam a ser negociadas “ex-juros sobre capital próprio” a partir de 11 de maio.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe