Agrogalaxy (AGXY3) tem baixa de 66% no lucro no terceiro trimestre, para R$ 19,4 milhões

Desempenho foi afetado pelo aumento da taxa de juros no período

Felipe Moreira

Agrogalaxy Divulgação

Publicidade

A Agrogalaxy (AGXY3), plataforma de varejo de insumos agrícolas e serviços, reportou nesta segunda-feira (14) um lucro líquido ajustado de R$ 19,4 milhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22), montante 66% inferior ao reportado no mesmo intervalo de 2021.

Conforme a empresa, houve relevante impacto do aumento da taxa Selic média de 4,9% ao ano (a.a.) no 3T21 para 13,5% a.a. no 3T22, que impactou negativamente o resultado financeiro.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 165,2 milhões no 3T22, um crescimento de 40,8% em relação ao 3T21.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A margem Ebitda ajustada atingiu 5,4% entre julho e setembro, queda de 1 ponto percentual (p.p.) frente a margem registrada em 3T21.

Mais dados do balanço da Agrogalaxy

A receita líquida somou R$ 3,074 bilhões no terceiro trimestre deste ano, crescimento de 66,6% na comparação com igual etapa de 2021.

As vendas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês) cresceram 45,8% no 3T22, alta de 0,3 p.p. na comparação com o 3T21.

Continua depois da publicidade

O resultado financeiro líquido ajustado foi negativo em R$ 442,6 milhões no terceiro trimestre de 2022, uma elevação de 224,5% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2021.

O lucro bruto ajustado atingiu a cifra de R$ 399,2 milhões no terceiro trimestre de 2022, um aumento de 63,3% na comparação com igual etapa de 2021. A margem bruta ajustada foi de 13% no 3T22, baixa de 0,2 p.p. frente a margem do 3T21.

O retorno sobre o capital investido (ROIC) atingiu 23% no terceiro trimestre de 2022, alta de 4,2 pontos percentuais em relação a mesma etapa do ano passado.

Os investimentos operacionais em imobilizado, intangível (incluindo investimento na aquisição de empresas) somaram R$ 247,7 milhões, contra R$ 77,4 milhões comparado ao mesmo período do ano anterior.

Em 30 de setembro de 2022, a dívida líquida ajustada da companhia era de R$ 1,621 bilhão, um crescimento de 128,66% na comparação com a mesma etapa de 2021.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 2,7 vezes em setembro/22, alta de 0,6 vez em relação ao mesmo período de 2021.

A carteira de pedidos atingiu a cifra de R$ 2,8 bilhões em setembro de 2022, alta de 92% na comparação setembro de 2021.