Imunização

Responsáveis por Sputnik V processarão Anvisa por “falsas informações” sobre vacina

A diretoria colegiada da Anvisa rejeitou na segunda-feira um pedido de importação da vacina russa

Sputnik V, vacina russa contra a Covid-19 REUTERS/Agustin Marcarian
Sputnik V, vacina russa contra a Covid-19 (REUTERS/Agustin Marcarian)

MOSCOU – Os desenvolvedores da vacina russa contra Covid-19 Sputnik V anunciaram nesta quinta-feira que processarão a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por difamação, acusando o órgão regulador de deliberadamente disseminar informações falsas sem testar o imunizante.

A diretoria colegiada da Anvisa rejeitou na segunda-feira um pedido de importação da vacina russa depois que a área técnica da agência reguladora alertou sobre falhas no desenvolvimento do imunizante além de dados incompletos sobre a segurança e a eficácia da vacina.

Uma questão crucial apontada pela Anvisa foi o risco de outros vírus usados na vacina para induzir uma resposta imune se reproduzirem nos pacientes, o que a agência classificou de um defeito grave.

“Após o reconhecimento do regulador brasileiro Anvisa de que não testou a vacina Sputnik V, a Sputnik V está tomando uma ação legal por difamação no Brasil contra a Anvisa por deliberadamente disseminar informações falsas e imprecisas”, afirma uma publicação na conta oficial da Sputnik V no Twitter.

“A Anvisa fez declarações incorretas e enganosas sem ter testada a vacina Sputnik V.”

A Anvisa não respondeu de imediato a pedidos de comentários.

Quer gerar uma renda extra na Bolsa? Curso gratuito do InfoMoney ensina a fazer o seu primeiro trade na prática, em menos de uma semana. Inscreva-se aqui.