Reparação com autopeças independentes pode baratear seguro em até 30%

Custo menor do conserto seria passado aos donos dos veículos, principalmente daqueles modelos com mais de dez anos de uso

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Caso as peças de reparação dos carros fossem compradas de fabricantes independentes, em vez de originais, os seguros – especialmente de modelos com mais de dez anos – ficariam, em média, 30% mais baratos. A declaração é do presidente da Anfape (Associação Nacional dos Fabricantes de Autopeças), Renato Ayres Fonseca. Normas da Susep (Superintendência de Seguros Privados) obrigam a utilização apenas de autopeças originais.

Proposta parecida com a da Anfape já foi citada pela Fenaseg (Federação Nacional das Empresas de Seguro e Capitalização), em meados deste ano. Na avaliação de Fonseca, as empresas ainda poderiam repassar uma parte da economia gerada pela aplicação das peças similares para incentivar o aplicador a utilizá-las, remunerando melhor sua mão-de-obra.

Frota x preço

De acordo com o Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguro do Estado de São Paulo) cerca de 30% da frota brasileira é segurada. A idade média dos automóveis está em 9,4 anos, sendo que 51% de todos os carros têm entre 6 e 15 anos.

Para Fonseca, isso ocorre porque o preço de uma apólice para um carro mais antigo chega a custar 20% de seu valor, enquanto que, para um veículo novo, raramente passa dos 5%. “O uso das peças alternativas poderia baixar o custo das apólices, viabilizando a cobertura de uma parcela maior da frota”, afirmou em entrevista ao Centro de Qualificação do Corretor de Seguro.

Compartilhe