Em mercados / renda-fixa

DIs sobem após Tombini sinalizar que BC não vai cortar juros

Presidente do BC deixa possibilidade de corte mais longe e muda a precificação dos contratos futuros de DI

Alexandre Tombini Banco Central
(InfoMoney TV)

SÃO PAULO - O mercado já estava aumentando as apostas em um corte de juros pelo Banco Central em 2016 quando o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, falou em entrevista à jornalista Miriam Leitão da GloboNews que "não há espaço para distenção monetária". 

“Hoje estamos com uma inflação ao consumidor ao redor de 11%. As expectativas dos participantes do mercado a grosso modo estão em 8% para este ano e 6% para o ano que vem, no limite superior da banda. Nesta circunstância não há que se falar em espaço para distensão monetária”, disse Tombini ao responder pergunta da jornalista Miriam Leitão sobre se há espaço para corte de juros.

Por conta do aceno contra a redução das taxas, o contrato futuro de DI para janeiro de 2017 subia 4 pontos-base a 14,36% às 9h47 (horário de Brasília). Ao mesmo tempo, o DI para janeiro de 2021 avança 5 pontos-base a 15,92%. 

Leia também:

InfoMoney atualiza Carteira para fevereiro; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

 

Contato