Em mercados / renda-fixa

Juros futuros fecham em alta na BM&F após corte da Selic dentro do esperado

Indicador da atividade econômica brasileira, o IPCA do mês de outubro registrou queda no ritmo de crescimento da inflação

SÃO PAULO -  As taxas dos principais contratos de juros futuros fecharam em alta nessa quinta-feira (20), após o corte em 0,50 ponto percentual na taxa básica de juros, ter vindo dentro das expectativas do mercado.

A decisão veio dentro do esperado pela maioria dos analistas, inclusive para o Banco Fator, que acredita na continuidade do ciclo de queda da taxa. “O ritmo também deve se manter, embora a extensão total do ciclo ainda dependa, em nossa avaliação, dos desdobramentos das condições econômicas”, afirmam os analistas do banco, que mantém expectativas de novos cortes, projetando Selic para 9,75% no fim de 2012.

IPCA e IGP-M
Quanto a agenda econômica do dia, a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA) do mês de outubro pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostrou queda no ritmo de crescimento do mercado brasileiro, com desaceleração de 0,11 ponto percentual em relação ao mês anterior, quando marcou taxa de 0,53%.

Segundo o analista da corretora Concórdia, Flávio Combat, a desaceleração da inflação respondeu diretamente ao arrefecimento dos preços dos alimentos, em linha com a redução dos preços agropecuários no atacado. “Após dois meses de intensa pressão sobre o IPCA e os IGP’s, os alimentos devem dar uma trégua no restante do ano”, afirmam.

O analista avalia ainda que a tendência será de desaceleração para o segmento de Alimentos e Bebidas e o de Transportes para o restante de outubro, projetando um IPCA fechado de 0,40% para o período.

Já os consultores da LCA avaliaram o resultado do IPCA como abaixo do esperado, já que projetavam um resultado de 0,44% além de ser menor que as projeções de mercado, que esperava um resultado de 0,45%. Os consultores esperam desaceleração para o IPCA fechado de outubro, em torno de +0,41%.

Por fim, o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) também apresentou desaceleração, com variação de 0,50% na segunda medição de outubro, segundo dados da FGV (Fundação Getúlio Vargas). No mesmo período de setembro, o indicador havia registrado taxa de 0,52%.

Contrato de janeiro de 2012 fechou com taxa de 11,14%
O contrato de juros de maior liquidez nesta quinta-feira, com vencimento em janeiro de 2012, registrou uma taxa de 11,14%, 0,03 ponto percentual acima do fechamento de quarta-feira. 

A seguir confira o fechamento das taxas dos principais contratos de juros futuros na BM&F:

Vencimento Taxa atual Taxa anter Diferença Contr Neg
 Novembro de 2011 11,38 11,41 -0,03 57.885
 Dezembro de 2011 11,38 11,36 +0,02 29.700
 Janeiro de 2012 11,14 11,11 +0,03 793.915
Fevereiro de 2012 11,00 11,00 0,00 32.780
 Abril de 2012 10,78 10,75 +0,03 50.720 
 Julho de 2012 10,61 10,55 +0,06 164.125
 Outubro de 2012 10,54 10,47 +0,07 290
 Janeiro de 2013 10,51 10,44 +0,07 561.020
 Abril de 2013 10,54 10,48 +0,06 1.005 
 Julho de 2013 10,59 10,60 +0,01 15.941
 Janeiro de 2014 10,74 10,66 +0,08 162.185
 Julho de 2014 10,83 10,73 +0,10 15

 

Contato