Em mercados / renda-fixa

Juros futuros operam em queda em dia de decisão da taxa básica de juro

Mercado segue dividido entre a manutenção e queda da Selic que foi elevada em todas as reuniões deste ano

SÃO PAULO - Em dia de decisão do Copom (Comitê de Política Monetária), as taxas dos principais contratos de juros futuros operam em queda no início dos negócios nesta quarta-feira (31) na BM&F. As expectativas seguem na manutenção da taxa na visão de economistas e de recuo para os operadores.

Vale lembrar que neste ano o Banco Central elevou a Selic em todas as suas reuniões - cinco no total -, entretanto, frente à degradação da economia internacional e levando-se em conta os recentes pronunciamentos do ministro da Fazenda, Guido Mantega, e da presidente Dilma Rousseff, as análises compiladas pela InfoMoney apontam para a manutenção do juro básico em 12,50% ao ano.

A equipe de economistas do Bradesco, espera fechamento nas curvas em todos os vencimentos, influenciadas, também, pela surpresa baixista com o resultado da produção industrial de julho (+0,5%, ante expectativa mediana do mercado de +0,7%), e aguardando a decisão do Copom desta data.

Os economistas continuam acreditando na desaceleração da atividade econômica para os próximos meses. Contudo, avaliam que o balanço prospectivo de riscos para a inflação doméstica não justifica que, nesta reunião de agosto, o Banco Central opte pelo início de um ciclo de afrouxamento monetário.

“Ao mesmo tempo, o aumento das incertezas em relação ao cenário global levará o Copom a interromper o ciclo de alta. Daqui para frente, de forma resumida, acreditamos que o espaço para um ciclo de baixa dos juros será tanto maior quanto maior for a deterioração do cenário externo e seu impacto sobre a economia brasileira”,  avaliam os profissionais do Bradesco.

Na agenda de indicadores desta quarta-feira, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou que a produção da indústria nacional avançou 0,5% em julho frente a junho na série com ajuste sazonal, segundo dados da Pesquisa Industrial Produção Física – Regional.

Contrato de outubro de 2011 indica taxa de 12,26%
O contrato de juros de maior liquidez hoje, com vencimento em outubro de 2011, aponta uma taxa de 12,26%, 0,01  ponto percentual abaixo do fechamento de terça-feira. O número de contratos negociados chega a 334.445. 

Outros contratos com bom volume negociado são o com vencimento em janeiro de 2012, que registra taxa de 11,92% e o de janeiro de 2013, com taxa de 11,13%. No fechamento de terça-feira, as taxas apontadas por estes contratos eram 11,92% e 11,15%, respectivamente.

A seguir confira as taxas dos principais contratos de juros futuros na BM&F:

 Vencimento   Taxa atual   Taxa Anterior   Diferença   Contr Neg 
 Outubro de 2011 12,26 12,27 -0,01 252.240
 Novembro de 2011 12,10 12,18 -0,08 10 
 Dezembro de 2011 12,08 12,10 -0,02 510 
 Janeiro de 2012 11,92 11,92 0,00 124.410
 Julho de 2012 11,34 11,36 -0,02 33.804
 Outubro de 2012 11,20 11,22 -0,02 825 
 Janeiro de 2013 11,13 11,13 0,00 103.045
 Abril de 2013 11,15 11,13 +0,02 1.100 
 Julho de 2013 11,12 11,15 -0,03 6.925
 Janeiro de 2014 11,18 11,23 -0,05 33.933

 

Contato