Avançando na privatização

Relator de MP da Eletrobras prevê R$ 8 bilhões extras para aliviar tarifas reguladas

O texto foi apresentado pelo deputado a líderes partidários nesta terça-feira.

arrow_forwardMais sobre
(Divulgação/Eletrobras)

SÃO PAULO (Reuters) – O relatório preliminar da medida provisória de privatização da Eletrobras (ELET3;ELET6apresentado nesta terça-feira pelo deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) prevê alocar parte dos recursos gerados pela desestatização aos consumidores cativos de energia, o que aliviaria tarifas de consumidores residenciais, principalmente.

A proposta representa mudança frente ao plano do governo, pelo qual metade do ganho de valor obtido pela Eletrobras com o processo seria direcionada pela companhia ao longo dos anos para aliviar encargos que pesam sobre os custos da energia para todos brasileiros, incluindo empresas e grandes indústrias que operam no chamado mercado livre de eletricidade.

“A destinação desses recursos de forma exclusiva para o mercado cativo garantiria a esses pequenos consumidores um montante adicional de aproximadamente 8 bilhões de reais no decorrer do prazo de vigência das concessões”, escreveu Nascimento, que foi definido relator da MP na Câmara.

O relatório preliminar visto pela Reuters também propõe que os resultados futuros da hidrelétrica binacional de Itaipu e da Eletronuclear, que são controladas pela Eletrobras e não serão privatizadas, sejam direcionados no futuro também para conter tarifas e outras finalidades.

O texto foi apresentado pelo deputado a líderes partidários nesta terça-feira.

Além de questões referentes à Eletrobras, o relatório de Nascimento também propõe alteração legislativa para que desestatizações de empresas controladas diretamente pela União, Estados e municípios possam ser executadas mediante venda de ações em bolsa ou oferta pública.

Série gratuita ensina na prática como identificar ativos com excelente potencial de valorização. Clique aqui para se inscrever.