Referência em chips, Intel tem prejuízo operacional de US$ 7 bi em unidade

Resultado foi duro golpe para a empresa, que busca recuperar a liderança tecnológica perdida nos últimos anos para a TSMC

Reuters

Publicidade

A Intel divulgou nesta terça-feira forte prejuízo operacional para seu negócio de fabricação de chips, um duro golpe para a empresa que busca recuperar a liderança tecnológica perdida nos últimos anos para a TSMC.

A Intel informou que a unidade de fabricação teve prejuízo operacional de 7 bilhões de dólares em 2023, maior que a perda operacional de 5,2 bilhões de dólares do ano anterior. A unidade registrou receita de 18,9 bilhões de dólares em 2023, queda de 31% em comparação com os 27,49 bilhões de dólares do ano anterior.

As ações da Intel caíam 4,3% após os documentos serem protocolados na SEC, orgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Durante uma apresentação para investidores, o presidente-executivo da Intel, Pat Gelsinger, disse que 2024 será o ano dos piores prejuízos operacionais para o negócio de fabricação de chips da empresa — que prevê atingir o “break even” operacional por volta de 2027.

O que houve com a Intel?

Gelsinger disse que o negócio de fundição foi prejudicado por decisões ruins, incluindo uma tomada anos atrás contra o uso de máquinas ultravioleta extrema (EUV) da empresa holandesa ASML. Embora essas máquinas possam custar mais de 150 milhões de dólares, elas possuem melhor custo-benefício do que ferramentas anteriores de fabricação de chips.

Parcialmente como resultado das más decisões, a Intel terceirizou cerca de 30% do número total de wafers de chips para fabricantes de contrato externo como a TSMC, disse Gelsinger. A empresa visa reduzir esse número para cerca de 20%.

Continua depois da publicidade

A Intel agora passou a usar equipamentos EUV, que cobrirão cada vez mais as necessidades de produção à medida que máquinas mais antigas são descontinuadas.

“Na era pós-EUV, vemos que somos muito competitivos agora em preço, desempenho e retorno à liderança”, disse Gelsinger. “E na era pré-EUV nós carregávamos muitos custos e não éramos competitivos”.

A Intel planeja gastar 100 bilhões de dólares na construção ou expansão de fábricas de chips em quatro Estados dos EUA. Seu plano de recuperação de negócios depende de persuadir empresas externas a utilizar seus serviços de fabricação.

Como parte desse plano, a Intel disse a investidores que começará a reportar os resultados de suas operações de fabricação como uma unidade independente. A empresa vem investindo pesadamente para alcançar seus principais concorrentes na fabricação de chips, TSMC e Samsung.