After Market

Recompra de ações do BB, fim dos ADRs da BR Properties e mais 4 notícias agitam a noite

Confira os destaques do noticiário corporativo do after market desta segunda-feira (18)

SÃO PAULO – A temporada de resultados do primeiro trimestre acabou, mas mesmo assim o noticiário corporativo da Bovespa começa a semana agitado, com destaque para o novo programa de recompra de ações do Banco do Brasil. Confira os destaques da noite desta segunda-feira (18):

Banco do Brasil (BBAS3)
O banco estatal informou nesta segunda que encerrou seu programa de recompra de ações iniciado em 6 de junho de 2014, decidindo por iniciar um novo programa nesta data. Segundo comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a recompra visa a aquisição/alienação de até 50 milhões ações, com prazo de operação de até 365 dias – terminando em 16 de maio de 2016. O Banco do Brasil informou que atualmente possui 1.411.929.905 ações em circulação no mercado.

Usiminas (USIM5)
A siderúrgica comunicou que sua diretoria decidiu desligar temporariamente os Altos Fornos nº 1 da Usina de Cubatão e nº 1 da Usina de Ipatinga, a partir de 31 de maio e 04 de junho de 2015, respectivamente, reduzindo assim sua produção de ferro gusa em aproximadamente 120 mil toneladas por mês.

“Tal ajuste visa a adequar a produção ao atual ritmo de demanda do mercado siderúrgico, trazendo oportunidades de redução de custo e melhoria da competitividade da Usiminas no atual cenário de mercado”, disse a companhia em fato relevante.

MRV Engenharia (MRVE3)
A companhia imobiliária informou que a Janus Capital Managements, em nome de alguns de seus clientes, na qualidade de administrador de investimentos, adquiriu ações ordinárias emitidas pela companhia, atingindo no dia 15 de maio uma participação de 5,06%, com 22.744.500 ações ordinárias. “A Janus, na qualidade de administrador de investimentos, declara que tal aquisição é apenas para fins de investimento e não objetiva adquirir controle da Companhia, disse a MRV.

BR Properties (BRPR3)
A companhia afirmou que, em reunião realizada nesta segunda, seu Conselho de Administração decidiu por cancelar o Programa de ADRs (American Depositary Receipts) registrado na CVM junto ao Deutsche Bank e pela adoção das medidas cabíveis para o término do programa junto aos detentores de ADRs. “A Companhia manterá o mercado e seus acionistas informados a respeito de eventos subsequentes relevantes relacionados ao cancelamento do Programa de ADRs”, afirmou em comunicado.

São Carlos (SCAR3)
A São Carlos anunciou a venda do Centro de Distribuição Barueri (CD Barueri), pelo valor total de R$ 110,8 milhões. “O CD Barueri está localizado em Alphaville. O imóvel tem 37.590 m² de área locável e está integralmente locado para a empresa DHL Logistics. A eficácia da transação e o pagamento integral do preço estão sujeitos à verificação de determinadas condições, usuais em negócios de alienação de imóveis”, afirmou a companhia em comunicado.

JHSF (JHSF3)
A JHSF firmou com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) um contrato de financiamento no valor de R$ 75 milhões para uso nas obras de implantação do São Paulo Catarina Aeroporto Executivo (Aeroporto Catarina) cujo projeto foi enquadrado para receber financiamentos de até R$ 390 milhões do BNDES. “O Bridge Loan será quitado quando da liberação do valor do financiamento de longo prazo”, disse a empresa.

O aeroporto fica a 35 minutos de carro de São Paulo e ocupará área de aproximadamente 2.000.000 m², com cerca de 50 mil m² de hangares e 50 mil m² de pátios na primeira fase. Estão previstos centros de serviço e manutenção (MRO), hangares de estadia, operadores de base (FBO) e pernoite, além de heliponto para conectar os usuários aos diversos destinos de negócios.

PUBLICIDADE