Análise técnica

Rali do Bitcoin pode se prolongar ainda mais, aponta indicador técnico

Segundo observadora, apesar do rali, o intenso risco geopolítico requer um stop loss firme em todas as posições de criptomoedas

Por  CoinDesk -

Citando uma ferramenta técnica chamada Nuvens de Ichimoku, a empresa de pesquisa independente Fairlead Strategies afirmou que o Bitcoin (BTC) parece ter virado a página e pode continuar a ganhar terreno no curto prazo.

“O Bitcoin eliminou a resistência definida pela nuvem diária e provavelmente vai confirmar o breakout [ponto de reversão de uma tendência] após fechamento hoje”, afirmou Katie Stockton, fundadora e sócia-gestora da Fairlead Strategies, em entrevista à CoinDesk ontem.

Apesar de ter enfraquecido um pouco na quarta-feira (2), o BTC conseguiu fechar acima da nuvem no Tempo Universal Coordenado (UTC, na sigla em inglês), confirmando a tendência de alta.

“O breakout reverte a tendência de queda a médio prazo e estabelece o próximo grande obstáculo na faixa dos US$ 50 mil a US$ 51 mil, com base na média móvel dos últimos 200 dias e no nível de retraimento a 50%”, disse Stockton.

Criada pelo jornalista japonês Goichi Hosoda no final dos anos 1960, a Nuvem de Ichimoku é composta de duas linhas: a Leading Span A e a Leading Span B. Ambas são plotadas nos 26 dias seguintes do último candle para indicar resistência ou suporte futuro.

O indicador usa uma fórmula um tanto complexa para delinear essas linhas. No entanto, os usuários não precisam saber como ele funciona — já que é analisado por especialistas em gráficos — e podem focar na interpretação dos sinais dados pelo indicador.

A tendência de alta é sinalizada quando a Leading Span A cruza a Leading Span B e a nuvem fica verde. Quando a Leading Span B fica abaixo da Leading Span A, a nuvem fica vermelha.

Intersecções acima ou abaixo da nuvem são largamente consideradas como representações de sinais iniciais de uma mudança de tendência bullish (alta) ou bearish (baixa).

  • Assista: Bitcoin resiste a colapso em meio à guerra na Ucrânia. O que vem agora?

A média móvel de 200 dias e Fibonacci são bastante utilizados para identificar tendências a longo prazo e os níveis potenciais de suporte e resistência.

Este último breakout está apoiado por uma leitura acima de zero (ou bullish) do histograma do MACD. “Os nossos medidores a curto prazo estão apontando para cima”, afirmou Stockton.

Até agora, a performance após o breakout não é animadora e a criptomoeda estava sendo negociada 1% abaixo no dia, a US$ 43.400. O indicador estocástico diário está quase sinalizando a compra em excesso, indicando um potencial para consolidação temporária antes de continuar a subida.

“O risco nesse ambiente é intenso, então nós manteríamos um stop loss firme para todas as posições de criptomoedas”, acrescentou Stockton, afirmando que a nuvem diária pode agora oferecer suporte.

O Bitcoin disparou mais de 25% após alcançar baixa de US$ 34.500 na semana passada, supostamente por causa do aumento da demanda da Rússia e Ucrânia.

Segundo relatos, os russos tomaram o controle de Kherson, cidade portuária da Ucrânia, e uma delegação ucraniana está a caminho da Bielorrússia para a segunda conversa de cessar-fogo com a delegação russa.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe