Europa e Ásia

Rali chinês anima Ásia, enquanto BCE impulsiona bolsas europeias

O índice em Xangai fechou em alta nesta sessão, com investidores recebendo bem as diretrizes de 2015 de Pequim para reformas econômicas; na Europa, membro do conselho do BCE afirmou que a instituição deve acelerar compras de bônus

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os índices acionários asiáticos anularam as perdas registradas no início da sessão e passaram a subir nesta terça-feira, com o salto da bolsa chinesa e o fechamento recorde em Wall Street compensando as preocupações com os problemas fiscais da Grécia.

Temores de uma falência da Grécia perduravam apesar de o ministro do Trabalho do país dizer na terça-feira que Atenas vai concluir logo um acordo com seus credores que libere dinheiro a Atenas em troca de reformas.

Às 7h41 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão avançava 0,07 por cento. O índice Nikkei alcançou uma máxima de três semanas.

Aprenda a investir na bolsa

O índice em Xangai fechou em alta nesta sessão, com investidores recebendo bem as diretrizes de 2015 de Pequim para reformas econômicas que priorizam a maior abertura dos mercados de capitais do país e a reestruturação de empresas estatais.

Na Europa, o dia é de alta, em meio aos dados corporativos e com as falas do membro do conselho executivo do BCE (Banco Central Europeu),  Benoît Coeuré. Ele disse hoje que a instituição deve acelerar as compras de bônus no âmbito do programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês) em maio e junho, uma vez que o mercado sofre com certa falta de liquidez nos meses de verão no hemisfério norte.

Segundo o dirigente, essa liquidez reduzida é um padrão reconhecido pelo BCE ao longo dos anos no mercado de bônus. A estratégia, portanto, permitiria ao banco central manter sua média mensal de 60 bilhões em compras de ativos “podendo comprar menos durante o período de férias”.

“Se necessário for, isto será compensado por compras menores em setembro, quando a liquidez do mercado voltar ao normal”, disse.

(Com Reuters)