Detalhes do IPO

Quem entrou no IPO da Par Corretora levará muito menos ações do que pediu; entenda

Primeiro IPO em 8 meses pagará o "preço do sucesso": com rateio na faixa de 13%, investidores que pediram acima do lote mínimo levarão apenas uma ação de cada 6 que reservaram

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Par Corretora vai estrear na Bovespa sexta-feira (5), mas nem todo mundo que entrou no IPO (Oferta Pública Inicial, na sigla em inglês) durante o período de reserva conseguiu o número de ações que queria. O motivo: a demanda por pedidos de reserva das ações da corretora de seguros da Caixa foi maior do que a quantidade ofertada para o investidor pessoa física – ou seja, faltou papel para tanto pedido. 

Para se blindar de momentos como esses, empresas que realizam IPO precisam colocar um “rateio”, que é um percentual de ações a ser entregue acima do limite mínimo que todo investidor receberá. Para ficar mais claro, vamos ao exemplo da Par Corretora: todos os investidores não institucionais levaram no mínimo R$ 2.996,19 – como a ação PARC3 foi precificada a R$ 12,33, isso equivale a 243 ações – e qualquer valor acima desse montante entraria na taxa de rateio. E essa foi a grande “reclamação” dos investidores, já que a taxa foi de 13,5925% – ou seja, para cada 100 ações que o investidor iria comprar acima do lote mínimo, ele levaria  apenas 13,59 ações.

Explicando este descontentamento em números: imagine um investidor que reservou R$ 100.000,00 em papéis da Par Corretora. Em vez de conseguir cerca de 8,11 mil papéis (R$ 100 mil dividido por R$ 12,33, que foi o preço fixado da ação), ele levou apenas 1.312 ações, que é quase 7 mil a menos do que ele esperava. Isso porque ele levou os 243 papéis que estão no lote mínimo de R$ 2.996,19 e dos R$ 97.003,81 restantes (R$ 100 mil – R$ 2.996,19), apenas 13,5925% foram atendidos, o que equivale a R$ 13.185,24 – ou 1.069,4 ações. Na soma do lote mínimo com o resultado do rateio, chegamos aos 1.312 papéis.

Aprenda a investir na bolsa

Resumo da história toda: o investidor que reservou uma quantidade superior ao lote mínimo recebeu apenas 1 ação para cada 6 reservadas.

O IPO
Par Corretora levantou R$ 602,8 milhões em sua oferta, segundo registro da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), valor superior ao estimado. As ações PARC3 saíram na operação a R$ 12,33 cada, acima da faixa indicativa fixada inicialmente pelos coordenadores da operação, de R$ 11,25 a 11,60 cada. Foram vendidos 48,889 milhões de papéis. 

A empresa é uma corretora de seguros controlada pela Caixa Econômica Federal. A grande diferença entre ela e a Caixa Seguradora é que a Par não é dona dos seguros, ela funciona como intermediária das operações, ganhando dinheiro com a corretagem. Assim, por mais que a maior parte de suas vendas se deem dentro da estrutura do banco estatal, ela pode negociar seguros de outras empresas. 

As ações da Par começam a ser negociadas na Bovespa a partir desta sexta-feira (5). Esse é o primeiro IPO realizado no Brasil neste ano.