Puxadas por valorização nas commodities, bolsas europeias fecham em alta

Reino Unido foi destaque na região, ao apresentar redução no PIB e por negação do Tesouro de divulgar testes de estresse

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Vindas de uma sessão de apreensão por conta do temor em torno das recentes ações de ratings de grandes agências de classificação de risco, as bolsas europeias reagiram bem nesta sexta-feira (22) após a agência de classificação Moody’s reafirmar o rating soberano da economia norte-americana e fecharam com leve alta – à exceção do índice SMI de Zurique, que sentiu o peso das perdas da sessão anterior, quando não operou por recesso.

O avanço no preço das commodities metálicas favoreceu na alta dos índices. Contudo, a redução trimestral no PIB (Produto Interno Bruto) britânico e os resultados corporativos aquém do esperado amenizaram os ganhos nesta sessão. Noticiário acerca do teste de estresse no setor financeiro da região também foi analisado.

No Reino Unido, a redução de 4,1% no PIB do primeiro trimestre de 2009 em relação ao mesmo período do ano passado confirmou a terceira queda trimestral consecutiva da atividade econômica da região, reforçando mais ainda o cenário de recessão em que ela se encontra. Apesar disso, os números ficaram em linha com o projetado pelo governo.

Destaques corporativos

Aprenda a investir na bolsa

Favorecidas pelo avanço nos preços do contrato futuro de cobre, as mineradoras lideraram os ganhos nesta sexta-feira. Aliado a isso, o Goldman Sachs Group recomendou a compra das ações da Kazakhmys (+6,06%) e da Vedanta (+3,68%). Dentre outras altas, destaque para a Fresnillo (+7,81%), e Rio Tinto (+4,22%).

A British Airways reportou o primeiro resultado negativo anual em sete anos, ao apresentar prejuízo de £ 375 milhões, contra as estimativas de prejuízo em torno de £ 310 milhões. Em resposta ao número, a companhia irá paralisar 16 aeronaves e reduzirá a capacidade de operação. Suas ações caíram 3,75%.

Teste de estresse no Reino Unido

O Tesouro do Reino Unido afirmou que não irá publicar os resultados dos testes de estresse feitos com os bancos britânicos, afirmando que divulgá-los “neste momento pode levar a incertezas nos mercados financeiros”.

Vale destacar que os papéis das instituições financeiras operaram no vermelho na abertura do pregão, também em virtude de referências vindas dos EUA ao final da última sessão. Contudo, as ações mostraram recuperação durante o dia e fecharam com moderada alta.

O Barclays afirmou que continuará buscando atingir os requerimentos básicos do governo em meio a vários riscos, seja nos mercados, seja no crédito. Suas ações subiram 0,8%. Dentre outros bancos listados no FTSE 100 – principal índice de ações de Londres – destaque para o Lloyds Banking (+2,85%) e para o Royal Bank of Scotland (+2,51%).

Fechamento dos índices de ações na Europa

O índice FTSE 100 da bolsa de Londres apresentou valorização de 0,46% a 4.365 pontos, acumulando no ano baixa de 1,55% enquanto
o CAC 40 da bolsa de Paris operou em leve alta de 0,33% atingindo 3.228 pontos e sua variação no ano acumula leve alta de 0,31%.

PUBLICIDADE

A Bolsa de Frankfurt, apresentou uma leve alta de 0,37% , atingindo 4.919 pontos, acumulando uma forte valorização de 2,26%.

%Var DiaPontos%Var 30D%Var Ano
FTSE 100+0,464.365+8,30-1,55
DAX 30+0,374.919+7,06+2,26
CAC 40+0,333.228+6,70+0,31
SMI-1,825.409+6,82-2,26
MIB 30+0,5320.673+10,29+3,04