Em mercados / proventos

De olho nos ajustes: Bonificação da Sul América e subscrição da Tecnisa afetam preços de fechamento; confira

Veja os detalhes e os ajustes nos preços das ações

Investidor
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Duas ações terão os preços de fechamento desta quarta-feira (29) ajustados devido a operações de bonificação e subscrição de seus papéis.

A Sul América (SULA11) propôs o aumento de seu capital social em R$1 bilhão, para R$3,3 bilhões, por meio da emissão de 160,2 milhões de novas ações nominativas, sendo 80,3 milhões ordinárias e 79,9 milhões preferenciais, sem valor nominal, e 19,8 milhões, mediante a capitalização de parte do saldo da reserva estatutária, que faz parte das reservas de lucros da companhia.

Do total de 160,2 milhões de papéis a ser distribuído aos acionistas mediante bonificação, será observada a proporção de 15,67 novas ações para cada lote de 100 papéis ordinários e preferenciais. No caso das units, a regra é a mesma, mas observa-se a proporção de 1 ação ordinária e 2 ações preferenciais por unit.

Além disso, a empresa anunciou o pagamento de dividendos de R$ 0,0803 por ação ordinária ou preferencial e de R$ 0,2410 por unit. O montante será pago a partir de 18 de abril e os papéis também ficam "ex-dividendo" nesta quinta-feira. Considerada também o efeito da bonificação, o preço de fechamento do ativo nesta quarta-feira deve ser ajustado de R$ 19,89 para R$ 16,98.

Já as ações da Tecnisa (TCSA3) ficam "ex-subscrição" nesta quinta. O Conselho de Administração da companhia aprovou um aumento de capital social no valor de até R$ 150 milhões, com a emissão privada de até 57,6 milhões de novas ações ordinárias ao preço de emissão por ação de R$ 2,60. 

Segundo o comunicado da empresa, caso as ações do sejam totalmente subscritas, o capital social da empresa passará dos atuais R$ 1,27 bilhão para R$ 1,42 bilhão. Devido à operação, os valor de fechamento dos papéis nesta quarta deve ser ajustado de R$ 2,70 para R$ 2,68.

 

Contato