Grãos

Produção de milho nos EUA, por Estado

arrow_forwardMais sobre

*ARC Mercosul

Ontem, a ARC Mercosul reduziu a produtividade nacional das lavouras de milho nos EUA para 165 bushels por acre (172 sacas por hectare) comparado com 166 Bu/Acre (173 sacas/hec) em agosto. O Tour de Safra da Pro Farmer (o maior dos EUA) trouxe mais claridade do potencial produtivo nos principais estados produtores. A ARC Mercosul também acredita que existe uma correlação forte entre o Pro Farmer e a previsão de safra que o USDA irá divulgar no dia 12 de setembro.

estimativas

PUBLICIDADE

A tabela acima mostra a estimativa de produtividade por estado. Os números em vermelho são grandes baixas em comparação com o relatório do USDA de agosto. Já os números em Azul são elevações significativas se comparado com o último relatório. As condições melhoraram em Indiana, Ohio e Michigan.

                             proba

As produtividades em Illinois, Indiana e Ohio foram reduzidas em 12-26 Bushels por acre (12 a 27 sacas por hectare) comparado com o relatório de agosto. As produtividades finais de Illinois, Indiana e Ohio devem ficar em 35-55 bu/acre (36 e 57 sacos por hectare) abaixo do ano passado.

milho

Com isso, a ARC Mercosul elevou o potencial produtivo de Nebraska para 188 bu/acre (196 sacas por hectare, contra 186 bu/acre (194 sacas por hectare) do USDA e 192 bu/acre (201 sacas por hectare) em 2018. A ARC Mercosul acredita que o Colorado deve colher 152 bu/acre (158 sacas por hectare), contra 150 bu/acre (156 sacas por hectare) do USDA. No Tennessee, devem ser colhidas 176 bu/acre (184 sacas por hectare) contra 174 bu/acre (182 sacas por hectare) do USDA.

Em linhas gerais o problema continua o mesmo: novos cortes virão (e são esperados) no relatório do USDA do dia 12 de agosto, mas a dimensão das reduções não deve permitir altas explosivas na CBOT. Qualquer valor de média produtiva nacional abaixo dos 164-165 bushels por acre (172 sacas por hectare) só será realista caso tenhamos uma geada nas lavouras. Do contrário, as perdas até aqui já foram precificadas. Os contratos futuros na CBOT devem continuar preocupados com os estoques altos no planeta e altas acima de $ 3,85 (no contrato para dezembro) devem ter dificuldades em se sustentar.

PUBLICIDADE

Nós acreditamos que os níveis de prêmios nos EUA continuem fortes, principalmente na parte Leste do Cinturão, aonde os estoques de milho nesta ano já caíram 9% se comparado com anos anteriores. É uma tarefa árdua tentar comprar soja dos produtores americanos hoje, que se recusam a vender com os preços depreciados. Porém, a ARC Mercosul está travando os prêmios para clientes americanos agora, já de olho no ano que vem. Existe uma tendência para os prêmios a partir de dezembro se enfraqueçam, assim como no Brasil, o que mostra uma demanda não tão firme seguindo em frente.