Procura de pais por seguro escolar ainda é pequena; veja quanto custa

Por isso, apenas algumas empresas trabalham com produto direcionado ao responsável, em que o valor é mais alto

Por  Flávia Furlan Nunes -

SÃO PAULO – O seguro educacional, que garante o pagamento das mensalidades escolares dos filhos, caso aconteça alguma eventualidade com o responsável – demissão ou morte -, ainda é pouco procurado pelos pais.

Por esse motivo, somente algumas seguradoras trabalham com o produto direcionado ao responsável, chamado de facultativo. Mesmo nas que trabalham, a maioria dos clientes ainda é a escola. Na Klima Seguros, 99% dos clientes são as instituições de ensino privadas. Quando o acordo é feito com elas, é chamado de compulsório.

Compulsório

Contratado pela instituição de ensino, o seguro é cobrado diretamente dela. “Não tenho certeza se ela repassa o valor aos alunos. A corretora manda um boleto que é pago pela escola”, afirmou o diretor comercial da Klima, Paulo Sonagere.

Já para o gerente administrativo do Sieeesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo), Osni Rosalino, existem escolas que já embutem o seguro no valor da mensalidade. “Elas colocam na planilha de gastos e o repassa”, disse.

O valor cobrado da escola varia de 1,75% a 2,8% da mensalidade. “Se considerarmos a taxa de 1,75% em uma mensalidade de R$ 500, paga-se R$ 8,75 por aluno”, afirmou Sonagere.

Facultativo

“Nas escolas em que não é oferecido o seguro e o pai quiser, o valor sobe significantemente”, explicou Rosalino. Para se ter uma idéia, a taxa chega a ser de 12% e, por isso, para uma mensalidade de R$ 500, podem ser cobrados R$ 60 pelo seguro.

De acordo com o diretor comercial da Klima, na corretora de seguros, no caso de morte, dependendo do plano escolhido, pode-se pagar as mensalidades até o final da escola. Já na demissão involuntária, os planos cobrem até cinco meses de um ano letivo.

Na Liberty Seguros, em que os valores variam de R$ 40 a R$ 80 por aluno, mas onde não se trabalha diretamente com os pais, cobre-se até 90 dias de mensalidade, caso o responsável fique desempregado.

Algumas escolas, no momento da matrícula, oferecem aos pais que façam o seguro facultativo e indicam uma seguradora na qual fizeram um acordo especial. “Este caso é comum e o preço sai mais barato”, disse Sonagere.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Acidentes pessoais

Vale ressaltar que o seguro escolar descrito acima não é aquele que cobre acidentes pessoais, mas o que assegura pagamento de mensalidades no caso de morte ou desemprego do responsável pela criança ou pelo adolescente.

Em relação ao de acidentes pessoais, quem faz a contratação é a escola, para ter como arcar com as despesas, no caso de algum aluno sofrer algum acidente. “Na Liberty, o valor cobrado da instituição está entre R$ 9 ou R$ 10”, afirmou o diretor de produtos, Paulo Umeki.

No caso deste tipo de seguro, Sonarege afirmou que, como a responsabilidade por cuidar da criança é da escola, o valor gasto por reparar algum acidente no âmbito escolar não deve ser repassado aos pais.

Compartilhe