Problema em refinaria puxa nova alta do petróleo, que toca US$ 60 em Londres

Preço do barril é influenciado por incêndio em refinaria nos EUA e desvalorização do dólar frente outras divisas internacionais

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As cotações do barril de petróleo registraram a segunda alta consecutiva na semana, chegando a tocar o maior patamar em seis meses em Londres nesta terça-feira (19), entre notícias de problemas em refinarias norte-americanas e desvalorização do dólar frente a outras divisas internacionais.

A cotação do barril do petróleo Brent, negociado no mercado de Londres, fechou a US$ 58,92 no pregão desta terça-feira, com alta de 0,7% em relação ao último fechamento. Por sua vez, o contrato que apresenta maior liquidez no mercado de Nova York, fechou cotado a US$ 59,65 por barril, configurando uma alta de 1,05% frente ao fechamento anterior.

Notícias de que uma refinaria no Texas, com capacidade de produção de 300 mil barris por dia, pegou fogo ajudaram a impulsionar as cotações da commodity durante o dia, com preocupações acerca de seu impacto sobre o volume ofertado da matéria-prima. No último domingo, uma refinaria no nordeste do país já havia anunciado problemas semelhantes.

Câmbio

Aprenda a investir na bolsa

A desvalorização do dólar frente a outras moedas internacionais também influenciou os preços durante o dia. Uma desvalorização da divisa norte-americana geralmente exerce pressão de alta na cotação do barril de petróleo, tanto para compensar a variação do câmbio (visto que o preço do petróleo é expresso em dólares) quanto pela migração de investidores para outras alternativas de aplicação, como as commodities.