Conteúdo Patrocinado
Oferecido por PetroRio

PRIO volta a retratar a vida nas plataformas de petróleo

Segunda temporada de web série mostra, em 4 episódios, os desafios dos colaboradores embarcados no FPSO Bravo

Por  MoneyLab -

A vida dos profissionais que atuam nas plataformas de petróleo e a potência de suas histórias são os protagonistas da nova série institucional da PRIO, maior companhia independente de óleo e gás do Brasil.

A companhia, que antes se chamava PetroRio, acabou de apresentar sua nova marca e aproveita o momento para divulgar os bastidores do Projeto Fênix, que interligou os campos de Polvo e Tubarão Martelo.

Nos 4 capítulos, disponíveis no YouTube, vemos depoimentos de 4 personagens que dedicam suas vidas ao trabalho e fazem a diferença neste setor tão importante para a economia nacional. Clovis Ferreira, Mestre de Cabotagem; Luciano Soares, Superintendente de Manutenção; Vander Pacheco, Superintendente de Produção e Alina Rocha, Engenheira de Processos revelam para as câmeras suas trajetórias desde os primeiros embarques até as aventuras que viveram nas suas carreiras.

Respeitando todas as normas de segurança necessárias, a equipe de gravação passou 72 horas embarcada no navio-plataforma Bravo, no Campo de Tubarão Martelo, localizada na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro.

Segundo Daniel Brito, head de branding e comunicação da PRIO, a ideia não é apenas mostrar como funciona o dia a dia de trabalho em uma plataforma, mas colocar em cena a paixão pelo mundo offshore. “O grande diferencial da PRIO são as pessoas. Seu talento, sua determinação e suas trajetórias. Energia humana gera energia. Esse é o nosso posicionamento e ninguém melhor que os trabalhadores offshore para mostrar como isso funciona”, diz.

No primeiro episódio, conhecemos Clovis Ferreira, mestre de cabotagem, que trabalha com movimentação de carga e um dos mais experientes funcionários da empresa. Ele lembra que a plataforma estava com o tempo de utilização perto do fim e que a chegada da PRIO fez renascer as esperanças dos trabalhadores. “O Projeto Fênix foi um dos mais importantes que eu já participei”, conta Clóvis.

De fato, a empreitada é um dos destaques do setor de energia nos últimos anos. O Projeto Fênix, que inclui a conexão entre os campos Tubarão Martelo e Polvo, ambos na Bacia de Campos (RJ), foi finalizado em julho de 2021 e teve investimento de US$ 45 milhões.

O Campo de Tubarão Martelo ganhou vida nova com a chegada da PRIO. Com o Projeto Fênix, a extensão da vida econômica do novo polo está prevista para até 2037, representando um acréscimo de mais de 10 anos.

“Ao humanizar a rotina da companhia, a PRIO também busca se aproximar dos acionistas e do público em geral”, finaliza o executivo.

 

Compartilhe