Principais bolsas latino-americanas sobem; Argentina contraria tendência

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As principais bolsas latino-americanas, com exceção da Argentina, fecharam em alta nesta sexta-feira, acompanhando o desempenho do índice norte-americano Nasdaq Composite, que encerrou o pregão com variação positiva de 0,97%. Os índices norte-americanos Dow Jones Industrial e o S&P500 fecharam em baixas de 0,63% e 0,18%, respectivamente.

O índice Merval da Bolsa de Nova York fechou em baixa de 0,37%. Segundo o jornal La Nacion, o presidente da Argentina, Fernando de la Rúa, assinou durante esta tarde mais de 30 decretos referentes, entre outras coisas, a criação de um sistema integrado de inspeção do trabalho e da previdência social. O ministro da economia, Jose Luis Machinea, declarou, também esta tarde, que Fernando de la Rúa assinou um decreto para fomentar os investimentos na área mineradora através do aumento dos benefícios para os projetos binacionais. Todos este decretos que estão sendo assinados visam a redução das taxas de desemprego, a atração de investimentos em infra-estrutura e a eliminação da ineficiência estatal, para que o país possa recuperar sua economia. A agência Bloomberg divulgou hoje que a Argentina encerrou o ano 2000 com um déficit orçamentário de US$ 6,57 bilhões, abaixo dos US$ 6,7 bilhões necessários para cumprir as condições do FMI para liberação do pacote de ajuda financeira.
Os destaques de queda ficaram para as ações da termoelétrica Central Costanera (-2,54%), da Perez Companc (-2,19%), da Solvay Indupa (-1,80%) e da siderúrgica Siderca (-1,34%). Por outro lado, as maiores altas ficaram para as ações da Sociedad Comercial del Plata (+3,88%) e dos bancos Galicia y Buenos Aires (+2,27%) e Bansud (+2,06%)

O IPC da Bolsa do México encerrou o pregão em alta de 2,19%.
As maiores altas entre as ações componentes do índice IPC ficaram para o Grupo Finaceiro Banorte (+11,60%), que anunciou hoje um aumento de 34% no lucro de 2000 em relação ao ano anterior, para o Grupo Industrial Maseca (+4,55%) e para a Hylsamex (+4,00%). Contrariando a tendência da bolsa mexicana, os destaques de baixa ficaram com as ações das Industrias Penoles (-6,13%), do Grupo Industrial Alfa (-1,54%) e da Vitro (-1,14%).

O índice IPSA da Bolsa de Santiago fechou em ligeira queda de 0,21%, apesar do anúncio da redução da taxa de desemprego. Hoje, o Instituto de Estatísticas do governo chileno divulgou a taxa de desemprego referente ao mês de dezembro, que apresentou um resultado de 8,3%, abaixo da estimativa esperada pelo mercado de 9%. Em novembro de 2000, a taxa registrada foi de 9,4% e em dezembro de 1999, a taxa de desemprego era de 8,9%. Segundo economistas do governo do Chile, em dezembro, foram criados novos postos de trabalho em diversos setores com destaque para o setor financeiro e a construção. Para estes economistas, o Chile ainda está longe de se recuperar da crise que passou em 1999, mas a melhora dos níveis de desemprego já é um bom início.






















Outros mercados: Brasil Ibovespa +0,66%
Peru ISBVL -0,89%
Venezuela IBVC+0,53%
Colômbia IBB+0,95%

Compartilhe