Principais bolsas latino-americanas fecham em baixa

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As principais bolsas latino-americanas fecharam em queda nesta segunda-feira, influenciadas pela instabilidade econômica da Argentina . Às 15:49 do horário de Nova York, o Nasdaq Composite registrava de baixa de 0,43%, enquanto o Dow Jones Industrial e o S&P 500 apresentavam variações positivas de 0,93% e 0,83%, respectivamente.
O índice Merval da Bolsa de Buenos Aires fechou em ligeira baixa de 0,01%, marcando o início de uma semana decisiva para a Argentina. Segundo o jornal argentino Clarín, o pacote de ajudar externa pode chegar a US$ 30 bilhões, acima dos US$ 20 bilhões esperado pelo mercado, dos quais US$ 15 bilhões viriam do FMI e o restante do Banco Mundial, do BID e de bancos privados. A equipe do FMI já se encontra na Argentina e está analisando as contas e as necessidades financeiras do país; porém, para iniciar as negociações do pacote, o governo tem que aprovar o projeto de lei da reforma da presidência que está no Congresso. A oposição contra este projeto de lei é grande e ele poderá ser facilmente rejeitado se o governo não convencer os deputados do Partido Peronista e Frepaso da necessidade e urgência dessa aprovação. O Orçamento de 2001, que também é condição básica do FMI, deverá ser votado amanhã após as novas modificações. No projeto original eram previstos cortes de US$ 700 milhões, agora, apenas US$ 100 milhões serão reduzidos e o restante será destinado a programas sociais. Os destaques de baixa foram para as ações da Garovaglio y Zorraquin (-10,00%), da Sociedad Comercial del Plata (-4,71%), banco BSCH (-4,44%) e da Telecom Argentina (-2,73%).
A Repsol YPF encerrou o pregão com variação negativa de 0,92%, após ter recebido uma multa de 110 milhões de pesos argentinos por realizar práticas monopolistas entre 1993 e 1997. Por outro lado, as maiores altas entre os componentes do índice Merval ficaram para o Banco Francês del Rio de la Plata (2,71%), Cresud (2,47%) e Grupo Financiero Galicia (2,10%).
O IPC da Bolsa do México encerrou o pregão em baixa de 0,44%, depois da publicação, na sexta-feira, do déficit comercial de setembro de US$ 810 milhões. Investidores mexicanos aguardam a posse do presidente eleito Vicente Fox, que assumirá a presidência do México na sexta-feira. As maiores baixas entre os componentes do índice IPC ficaram para as ações do Grupo Industrial Saltillo (-5,35%), do Grupo Fianciero Banorte (-5,15%) e da Apasco (-3,32%). Contrariando a tendência da bolsa, os destaques de alta ficaram para o Grupo Financiero Inbursa (2,78%), para o Grupo Televisa (2,57%), e para as Empresas ICA (1,85%).
O IBVC da Bolsa de Caracas fechou em alta de 0,58%, após o fim do monopólio da telefonia fixa na Venezuela. A CANTV, companhia de telefonia nacional, perdeu hoje o seu poder de monopólio, após 10 anos. Nesta segunda-feira, o novo regulamento do setor de telecomunicações foi publicado no jornal do governo e se tornou lei. Com o início da competição no setor, a CANTV estima que perderá cerca de 30% dos seus clientes.






















Outros mercados: Brasil Ibovespa -2,28%
Peru IBL 0,15%
Chile IPSA -0,03%
Colômbia IBB 0,15%

Compartilhe