Prestadora de serviços deve contar com instabilidade tributária para 2008

Empresas de serviços tendem a ampliar em 40% seus custos operacionais e em 20% as despesas financeiras

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Se as empresas do comércio e da construção civil podem fazer projeções para 2008 contando com menos instabilidade tributária, as prestadoras de serviços precisam ficar alertas, na opinião do diretor tributário da RCS Brasil, Julian Clemente.

“Na hora de planejar os impostos, é essencial que este setor seja menos cauteloso e opte pelo Lucro Real. Caso contrário, se exagerar no otimismo e presumir uma margem elevada, maior do que a arbitrada por lei, o prejuízo é quase certo”, informa.

Estimativas

Ele analisou o cenário para o próximo ano em 130 pequenas e médias empresas nacionais. “Pelas estimativas, mantidas as alíquotas do PIS, Cofins, IRPJ e CSLL no patamar atual, as empresas de serviços tendem a ampliar em 40% seus custos operacionais e em 20% as despesas financeiras, sem uma receita que possa ser tão compensadora”, explica. “Por isso, o cuidado redobrado no planejamento tributário, que pode obrigá-las a pagar impostos a mais indevidamente”.

Para exemplificar: na simulação referente a 2008, uma empresa de porte médio do setor de serviços, com receita anual entre R$ 6 milhões e R$ 7 milhões, e projeção de crescimento de 40% no ano que vem, pagaria no Lucro Presumido um total de R$ 1.051.760 (R$ 767 mil de IRPJ, R$ 284,760 mil de CSLL, R$ 59,15 mil de PIS e R$ 273 mil de Cofins).

Já no Lucro Real, esse valor seria reduzido para R$ 744.657,60 (R$ 540,66 mil de IRPJ, R$ 203.997,60 de CSLL, R$ 94,248 mil de Pis e R$ 434,112 mil de Cofins). A diferença entre a somatória de encargos nos dois regimes é de R$ 307.102,40, de acordo com cálculos da RCS Brasil.

Comércio

Para empresas do comércio varejista e construtoras/ incorporadoras, que não mantêm margem de lucro linear, a escolha mais adequada é o Lucro Presumido trimestral. A perspectiva é otimista, uma vez que a oferta de crédito e a demanda imobiliária aquecida devem fomentar a boa performance dos setores em questão.

De acordo com projeções da consultoria referentes a 2008, uma empresa do setor do comércio com receita anual de R$ 4,5 milhões e projeção de expansão de 40% no próximo ano pagaria no Lucro Presumido um total de R$ 189,080 mil (R$ 116 mil de IRPJ, R$ 73,08 mil de CSLL, R$ 40,95 mil de Pis e R$ 189 mil de Cofins).

Por sua vez, no Lucro Real, a somatória seria de R$ 344.938,30 (R$ 246.748.75 de IRPJ, R$ 98.189,55 de CSLL, R$ 32,109 mil de PIS e 147,896 de Cofins), o que implica em uma diferença de cerca de R$ 155.858,30.

“Na atividade imobiliária, o percentual tributário é de 8%. Mas, mesmo se em três meses a empresa apurou lucro contábil de 20%, paga os impostos somente sobre 8% e pode distribuir aos sócios o lucro efetivo e isento de tributação”, completa Clemente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Compartilhe