Ata do Fomc

Preocupado com China e Grécia, Fed segue cauteloso para elevar juros

Nas minutas da reunião, que ocorreu antes mesmo da vitória do "não" grego, membros da autoridade monetária americana seguem cautelosos para evitar "movimento prematuro"

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Apenas um dos 10 diretores do Federal Reserve se mostrou favorável a uma elevação de juros no mês passado, mostrou a ata do encontro realizado em junho. O documento revelou uma grande preocupação dos integrantes do grupo não só com a economia americana, mas também com o cenário na Grécia e na China – mesmo com a reunião acontecendo antes da vitória do “não” em plebiscito pelos helenos e das novas especulações de estouro de bolha no gigante asiático -, o que aumenta as chances de que a elevação dos juros pode ficar para o fim do ano ou 2016.

Ainda de acordo com as minutas do Fomc, a percepção é de que faltam mais evidências de que o crescimento econômico foi suficientemente forte e o mercado de trabalho firmou condições suficientes para o reaquecimento da economia. A esperada retomada dos indicadores inflacionários poderá demorar mais a ocorrer e funcionar como fator impedidor da elevação dos juros na maior economia do mundo.

Vale lembrar que o índice de preços e os níveis de emprego são os principais parâmetros usados pela autoridade monetária norte-americana para a decisão sobre a política de juros. De qualquer forma, a visão dos membros do Fed são de que houve melhoras desde que a política de afrouxamento foi implementada, em 2008. “Alguns participantes viram as condições econômicas para aumentar a taxa dos fundos federais como atendidas ou estavam confiantes de que seria atingido em breve “, informou a ata. As futuras alterações nos juros deverão ser detalhadas em uma “nota de implementação”.

Aprenda a investir na bolsa