Commodities

Navio encalha no canal de Suez e leva à alta de 6% dos preços do petróleo

Oito navios rebocadores tentavam desencalhar um longo navio de contêineres de 400 metros que bloqueava a passagem no Canal de Suez

Os preços do petróleo subiram nesta quarta-feira (24), depois que um navio encalhou no Canal de Suez, o que gerou preocupações sobre a oferta. Contudo, mais cedo, temores de uma lenta recuperação na demanda devido a “lockdowns” na Europa chegaram a limitar os ganhos.

Oito navios rebocadores tentavam nesta quarta-feira desencalhar um longo navio de contêineres de 400 metros que bloqueava a passagem no Canal de Suez, no Egito. O navio Ever Given é um porta-contêineres de grande porte e encalhou no quilômetro 151 do Canal de Suez por volta das 7h40 (12h40 no horário de Brasília). O comunicado da Autoridade que gere o local destaca que a perda de orientação do cargueiro ocorreu por uma “tempestade de vento” de “cerca de 40 nós” – aproximadamente 74 km/h.

O Canal de Suez é uma das principais vias marítimas para o comércio internacional e, por conta do encalhamento, foi possível verificar um tráfego enorme, com dezenas de navios parados próximos ao local. A via artificial estratégica de 190km de extensão liga o Mar Mediterrâneo com o Mar Vermelho e permite uma navegação mais rápida entre a Europa e a Ásia – sem a necessidade de contornar todo o continente africano

“O suporte aos preços vem como cortesia do bloqueio ao transporte”, disse Stephen Brennock, da corretora PVM. “Mesmo assim, o sentimento do mercado provavelmente ainda vai sofrer pra sair dessa sua nova tendência baixista”.

O contrato futuro do petróleo Brent com vencimento em maio saltou 5,95%, a US$ 64,41 o barril, enquanto o petróleo dos Estados Unidos com mesmo vencimento avançou 5,92%, a US$ 61,18 por barril.

“O potencial impacto sobre a oferta levantou os preços”, disse Jeffrey Halley, da corretora OANDA, sobre o incidente em Suez, embora com a ressalva de que a questão parece temporária.

Conforme destaca a XP Investimentos, o evento pode provocar travas na cadeia global de energia. Segundo a Bloomberg, que ouviu fontes com conhecimento no assunto, o canal pode ficar bloqueado por dias.

O Bradesco BBI destaca que o Canal de Suez faz parte de algumas das rotas mais importantes dos navios petroleiros. Portanto, o bloqueio deve ter um impacto direto no fornecimento de óleo. “No entanto, o impacto deve ser temporário, e como as refinarias na Europa operam com baixas taxas de utilização e os estoques locais de petróleo estão em níveis elevados, o problema deve ter um impacto menor na demanda de petróleo”, avaliam os analistas.

Por outro lado, pesavam contra os preços os lockdowns e as restrições na Alemanha, na Itália, na França e em outros países europeus. Na terça-feira, o petróleo Brent havia desabado 5,9%, enquanto o barril nos EUA perdeu 6,2%.

PUBLICIDADE

(com Ansa Brasil e Reuters)

Participe do Treinamento gratuito Scalper Pro e entenda como extrair lucro e controlar riscos na Bolsa em operações que duram minutos ou segundos! Inscreva-se aqui.