Commodities

Preço de petróleo nos EUA tem maior nível desde 2019 com retomada de refinarias

No geral, destacaram que os ganhos desaceleraram nesta quinta-feira

(Crédito: Shutterstock)

NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo não tiveram direção comum nesta quinta-feira, com a referência norte-americana registrando leve alta –para o maior nível de fechamento desde 2019– diante da retomada de operações de refinarias no Texas, mas o Brent recuando por temores de que quatro meses de altas nas cotações possam levar produtores a aumentar a oferta da commodity.

No início do dia, uma garantia de que as taxas de juros seguirão baixas nos Estados Unidos e uma forte queda na produção norte-americana na semana passada, devido a uma tempestade de inverno no Texas, ajudaram tanto WTI quanto Brent a atingirem os mais altos níveis desde janeiro de 2020.

Mas o petróleo Brent para entrega em abril fechou em queda de 0,16 dólar, ou 0,2%, a 66,88 dólares por barril. O contrato abril expira na sexta-feira.

Já o petróleo dos EUA (WTI) avançou 0,31 dólar, ou 0,5%, para 63,53 dólares o barril, mais alto nível de fechamento desde maio de 2019.

Analistas disseram que o WTI ganhou força no final do dia, à medida que mais refinarias norte-americanas retomam operações após a tempestade de inverno no Texas –incluindo a unidade da Valero Energy em Port Arthur e a planta de Corpus Christi da Citgo Petroleum.

“Quanto mais refinarias voltarem ao trabalho, mais petróleo elas vão queimar e menos petróleo será estocado”, disse Bob Yawger, diretor de futuros de energia do Mizuho em Nova York.

No geral, porém, analistas destacaram que os ganhos desaceleraram nesta quinta-feira.

“Com o ímpeto indicando uma desaceleração uma semana antes da reunião da Opep+, o petróleo pode estar se posicionando para uma pequena correção”, disse Craig Erlam, analista sênior da OANDA, acrescentando que “ainda há muitos riscos baixisitas no mercado, e um deles é a união da Opep+ ficar sob pressão nos próximos meses”.