Fraude

Ponzi: entenda o esquema adotado por Madoff na 2ª maior fraude dos EUA

Remontando ao início do século XX, golpe consiste no pagamento de retornos com o dinheiro de novos investimentos

Por  Giulia Santos Camillo -

SÃO PAULO – Os que acompanharam – por filmes e livros – as maiores fraudes corporativas dos Estados Unidos agora podem ver a história sendo feita. Com um prejuízo total estimado em US$ 50 bilhões, o esquema armado por Bernard Madoff pode entrar para a história como sendo a segunda maior fraude dos EUA, atrás apenas do escândalo da Enron em 2001, com perdas de US$ 63,4 bilhões.

Bernarde Madoff, mais conhecido por ter sido presidente da Nasdaq, foi preso na última quinta-feira (11), acusado de um esquema Ponzi bilionário, que afeta desde fundações de caridade norte-americanas até grandes investidores e importantes bancos mundiais, como o francês BNP Paribas e o britânico HSBC.

Nada incomum, esse tipo de esquema já levou a dezenas de fraudes e prisões ao redor do mundo, com promessas de retornos extraordinários e rápidos. O caso que dá nome ao esquema remonta ao início do século XX e pode ser usado para entender como a fraude funciona.

Ponzi, 1920

Em 26 de dezembro de 1919, Charles Ponzi, um corretor italiano radicado nos Estados Unidos, abriu a companhia The Securities Exchange Company, prometendo taxas de retorno de 50% em 45 dias ou 100% em 90 dias através de cupons-resposta internacionais.

A idéia surgiu quando Ponzi percebeu que um cupom-resposta comprado na Espanha custava um sexto do valor nos EUA. Dessa forma, Ponzi armou um esquema que daria um bom retorno: enviar dinheiro aos países onde o cupom era mais barato e trocá-los nos EUA.

Porém, devido aos longos prazos das operações, sua idéia mostrou-se inviável logo no início. Assim, Ponzi começou a pagar os retornos dos cupons em vencimento com o dinheiro dos novos investidores, o que deu origem à fraude que atualmente leva seu nome.

A fraude de Ponzi durou exatamente sete meses, sendo que em 26 de julho, devido à insistência das autoridades, o corretor parou de aceitar depósitos dos investidores Ele foi preso em 13 de agosto de 1920. Embora não tenha sido o primeiro a utilizar o esquema, o prejuízo criado por ele foi tão grande que a fraude acabou levando seu nome.

Pirâmide X Ponzi

A idéia do esquema Pirâmide também é a promessa de altos retornos, enquanto o seu maior problema é manter a sustentabilidade na medida em que o número de participantes aumenta. Contudo, embora haja muitas semelhanças, esse esquema é fundamentalmente diferente do Ponzi.

A idéia dessa fraude é que os participantes geram dinheiro apenas recrutando novos investidores para o sistema, de forma que, caso o promotor não consiga recrutar o número devido de participantes, ele não tem retorno algum. O esquema leva esse nome pois o número de participantes aumenta proporcionalmente, de forma que, se colocados em gráfico, formam uma pirâmide.

Supondo que uma pessoa consiga que 10 outros indivíduos invistam uma determinada quantia a uma taxa de retorno exorbitante e, em troca, cada uma consiga mais 10 pessoas para investirem, que por sua vez, deverão conseguir mais 10 pessoas cada… no final da 3ª leva, já seriam alcançados mil investidores.

PonziPirâmide
Quem arma o esquema interage com todos os investidoresCada participante é responsável por recrutar os demais
Afirma que o retorno vem de investimentos bem-feitosAfirma abertamente que o retorno ao investimento inicial advém do capital de novos participantes
Pode sobreviver por mais tempo, pois persuadindo antigos investidores a continuar reinvestindo seu capital, não necessita de grande crescimentoTorna-se insustentável de forma mais rápida, devido ao seu crescimento exponencial
Compartilhe